AO VIVO
Economia - 12 de dezembro de 2023
Foto: Reprodução/internet

“Brincadeira acabou”, declara Serafim Corrêa sobre vitória do AM contra SP em decisão do STF

O secretário de estado de desenvolvimento econômico, ciência, tecnologia e inovação descreveu como “terrorismo tributário” a dinâmica que São Paulo impunha às empresas que adquiriam produtos da Zona Franca de Manaus

Por: Filipe Távora
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

“Agora essa brincadeira acabou”, declarou o secretário de estado de desenvolvimento econômico, ciência, tecnologia e inovação Serafim Corrêa em referência ao que ele considera como “insegurança jurídica” gerada por São Paulo a compradores e vendedores ligados à Zona Franca de Manaus (ZFM). Corrêa comentou o caso ao Poder, nesta terça-feira (12), após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que proíbe cancelamento de créditos de Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) da ZFM.

Conforme o secretário, o benefício da decisão do STF é que as empresas que dispõem de incentivos fiscais concedidos pelo governo do Amazonas terão também segurança jurídica. Ainda de acordo com Corrêa, a lei complementar nº 24, de 7 de janeiro de 1975, garante ao Amazonas dar incentivos fiscais e gerar créditos a outros estados. O secretário declarou, que, desde a instauração da lei, São Paulo praticou “terrorismo tributário” às empresas que adquiriam produtos da ZFM.

“O estado de São Paulo era o único estado que não seguia isso. Desde a vigência da lei, ele sempre ficou se recusando a cumprir, autuando uma empresa aqui, outra ali, gerando insegurança tanto aos compradores quanto aos vendedores. Agora essa brincadeira acabou, porque o Supremo disse que é constitucional”, disse.

Segurança a investimentos

Corrêa afirmou, ainda, que algumas empresas não investiam em Manaus com receio da insegurança jurídica gerada pela dinâmica imposta por São Paulo.

“O Supremo é a corte suprema do Brasil. Ele disse: ‘estado de São Paulo, deixa de brincadeira. Essa lei está valendo. Ela está albergada pela Constituição, e, como tal, você tem que cumprir’. Se o estado de São Paulo não quiser cumprir, deverá arcar com as consequências disso”, declarou.

Graças à decisão do STF, Corrêa entende que o Amazonas disporá de segurança jurídica para atrair novos investimentos, dando incentivos fiscais permitidos legalmente.

Decisão da corte suprema

Os ministros do STF declararam inconstitucionalidade de quaisquer atos administrativos do fisco paulista e Tribunal de Impostos e Taxas de São Paulo (TIT-SP) que determinem cancelamento de créditos de ICMS de empresas que compraram mercadorias do Amazonas, contempladas com incentivos fiscais da ZFM.

No entendimento do TIT-SP, os incentivos são inconstitucionais. O governador do estado do Amazonas Wilson Lima questionou as decisão do TIT-SP por meio de uma Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF). O governo amazonense pediu que o Supremo determinasse, definitivamente, a impossibilidade de cancelamento dos créditos.

ZFM

A Zona Franca de Manaus foi um projeto geopolítico do governo militar, assinado pelo presidente Humberto de Alencar Castello Branco, que objetivou a garantia de desenvolvimento e arrecadação ao Amazonas.

A ZFM visa promover integração produtiva e social no Amazonas. Ela é administrada pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) e compreende uma área total de dez mil quilômetros quadrados.

A lei complementar nº 24 de 1975 registra em seu artigo 15 que é “vedado às demais Unidades da Federação determinar a exclusão de incentivo fiscal, prêmio ou estímulo concedido pelo Estado do Amazonas”.

 

#Serafim Correa ZFM #STF São Paulo

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

28/02
17:10

DAVID E VALDEMAR?

Esta semana, cresceram as especulações de que o prefeito David Almeida se encontraria com o presidente nacional do PL para supostamente tratar do seu ingresso à legenda de Bolsonaro. Nem ontem nem hoje aconteceu encontro algum, de acordo com a agenda de Valdemar da Costa Neto até esta quarta-feira (28). Fala-se até em uma chapa encabeçada por David, com o deputado Alberto Neto como vice; no entanto, Neto afirmou em entrevista nesta terça-feira (27) que é o pré-candidato da direita em Manaus e conta com o apoio do ex-presidente.

23/02
15:04

“FORA DA CURVA”

“Amom é um político ‘fora da curva’, diferenciado e um grande fenômeno no estado do Amazonas. Agregar apoio político e popular aos 23 anos de idade é algo que ocorre de tempos em tempos.” O comentário foi feito na manhã desta sexta-feira (23), no evento de lançamento da pré-candidatura do deputado federal Amom Mandel (Cidadania) a prefeito de Manaus, à reportagem do site O Poder.com pelo experiente político e membro do PSDB-AM, Humberto Michiles.

23/02
14:46

VICE DE AMOM?

O pré-candidato oficial da Federação PSDB-Cidadania, deputado federal Amom Mandel, tem a liberdade de escolher quem será seu vice na chapa à prefeitura de Manaus, sem nenhuma intervenção dos partidos e apoiadores de sua campanha. A afirmação foi feita pelo senador Plínio Valério, presidente da federação, em entrevista ao site OPoder.com. Amom afirmou que as conversas estão avançadas, mas ainda não há um nome definido.

08/02
14:52

FINANCIAMENTO PÚBLICO X PRIVADO

O deputado Adjuto Afonso (UB) comentou nesta quinta-feira, 08/02, durante o lançamento do programa de financiamento + Créditos Amazonas da AFEAM, que o governo tem facilitado muito para o microempreendedor do interior através do programa. Para o deputado, não foi surpresa o anúncio da agência ser a primeira do país em financiamento público para microempreendedores. Oriundo da calha do rio Purus, ele fala com propriedade.

01/02
11:45

VAI DE PDT

O vereador de Itacoatiara, Arnoud Lucas, que é pré-candidato à prefeitura daquele município, revelou ao site O Poder que aguardará o período da janela partidária (7 de março a 5 de abril) para sair do atual partido em que está filiado, o Partido Verde (PV), e mudar para o Partido Democrático Trabalhista (PDT). Ele afirmou que já recebeu o aval do presidente estadual da legenda no Amazonas, o ex-deputado estadual Luiz Castro, e acredita que terá no PDT-AM o suporte necessário para viabilizar o seu projeto de candidatura à prefeitura de Itacoatiara.

Ver mais >>

Programas