AO VIVO
Legislativo - 17 de agosto de 2021
Foto:

Randolfe diz que há indícios para responsabilizar Bolsonaro por falsificação de documento público

Brasília-DF- O vice-presidente da CPI da Pandemia, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), em entrevista coletiva após o depoimento do auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques, nesta terça-feira (17), disse que há indícios para responsabilizar o presidente Jair Bolsonaro por falsificação de documento público. — O presidente da República alerta o […]

Por: Redação
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

Brasília-DF- O vice-presidente da CPI da Pandemia, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), em entrevista coletiva após o depoimento do auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques, nesta terça-feira (17), disse que há indícios para responsabilizar o presidente Jair Bolsonaro por falsificação de documento público.

— O presidente da República alerta o Brasil de que existia um documento oficial. É algo gravíssimo — ressaltou.

Para Randolfe, é desnecessário o comparecimento à CPI do pai de Alexandre Marques, o coronel da reserva Ricado Marques, que teria repassado o documento a Bolsonaro. Ele espera que a quebra de sigilo de dados deverá esclarecer a questão da transferência dos dados e de sua divulgação dentro de um pequeno espaço de tempo.

— Os elementos e indícios levam a crer que a falsificação aconteceu ou na Presidência da República ou por parte do presidente da República.

O senador Humberto Costa (PT-PE) concorda que o depoimento deixa claro que um documento não oficial chegou às mãos de Bolsonaro e foi divulgado à sociedade na forma de “falsificação” como apoio ao argumento da superestimação de mortes por covid-19.

— Isso caracteriza um crime de falsidade ideológica cometido pelo presidente, que ele próprio fraudou ou determinou que alguém fraudasse esse documento para justificar uma posição.

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) classificou o depoimento de hoje como “perda de tempo” em torno de assunto superado.

— O Tribunal [de Contas da União] já se manifestou sobre isso, o próprio presidente reconheceu que fez uma referência indevida sobre esse documento, mas a CPI traz o assunto de volta para apurar um assunto que não tem a menor relevância.

O senador não descarta a necessidade de “revisitar” mais à frente o tema do estudo, sublinhando que ministros do TCU já manifestaram preocupação com a hipótese de “distorções perigosas” envolvendo o repasse de recursos em função da notificação de mortes por covid-19. Marcos Rogério ainda contestou os argumentos de que Bolsonaro teria manipulado o conteúdo do documento.

— Se alguém está mascarando alguma coisa aqui, é a CPI, quando não quer investigar o que está acontecendo em estados e municípios — protestou.

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) avaliou que, com celeridade e responsabilidade, é possível à CPI fazer todo o levantamento dos dados até o final de setembro, mas preferiu não fazer previsão sobre o possível encerramento antecipado do colegiado. Ela afirmou que a CPI já pode trabalhar com provas suficientes, com exceção da “nova frente de investigação” sobre a Covaxin que deve ser aberta com o depoimento do empresário Francisco Maximiano, dono da Precisa Medicamentos, previsto para esta quinta-feira (19).

— Quando foi desmascarado que a Precisa não tem a procuração como representante exclusiva da Bharat, o castelo de cartas se desmonta — afirmou.

Os senadores também manifestaram apoio à decisão de cancelamento da acareação entre o ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), e o deputado Luis Miranda (DEM-DF), inicialmente prevista para esta quarta-feira — em seu lugar, será ouvido Túlio Silveira, advogado da Precisa Medicamentos. Randolfe reiterou que, em caso de falso testemunho, o presidente da CPI não poderia decretar a prisão dos depoentes, que são detentores de mandatos na Câmara dos Deputados.

Para Marcos Rogério, o cancelamento da acareação foi um acerto da CPI, pois, diferentemente de Luis Miranda, Onyx não depôs separadamente. Humberto Costa concorda com o cancelamento, pois não acrescentaria aos fatos já conhecidos sobre a falsidade de vários documentos em torno do contrato das vacinas.

*Agência Senado

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

25/03
11:15

AFASTAMENTO DE SECRETÁRIO

O vereador Capitão Carpê utilizou a tribuna nesta segunda-feira (25) para solicitar ao prefeito David Almeida o afastamento do Secretário de Comunicação do município, Israel Conte. Carpê se baseia no fato de que o motorista do portal O Abutre confirmou à polícia o recebimento de dinheiro em espécie na prefeitura durante seu depoimento.

20/03
20:29

RAIFF NO UNIÃO

O vereador Raiff Matos (Democracia Cristã) deverá mudar de partido nos próximos dias. O parlamentar, que integra a base conservadora da Câmara Municipal de Manaus (CMM), está prestes a se juntar às fileiras do União Brasil. A confirmação foi feita na manhã desta terça-feira (19) à reportagem do site O Poder.com pelo vereador Diego Afonso (UB), líder da bancada na Câmara Municipal.

20/03
11:45

FAUSTO JR. NA CMM

Na manhã desta terça-feira (19), o deputado federal licenciado e atual secretário estadual de Desenvolvimento Urbano e Metropolitano, Fausto Júnior, esteve visitando a Câmara Municipal de Manaus, onde cumprimentou os vereadores. Após saudar os parlamentares, Fausto se reuniu a portas fechadas com o vereador Diego Afonso (UB). Questionado pela reportagem do site O Poder.com sobre a motivação da visita à câmara, o deputado afirmou que se tratava apenas de uma visita de “cortesia”.

13/03
11:21

BELÃO NO COMANDO

Cotado para concorrer à prefeitura de Fonte Boa nas Eleições de 2024, o ex-deputado estadual Belarmino Lins, mais conhecido como ‘Belão’, assumiu o comando do diretório do partido União Brasil naquele município. Belão, após 32 anos de vida pública e oito mandatos consecutivos na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), decidiu abandonar a política, mas agora almeja a prefeitura de Fonte Boa.

05/03
16:31

REPRESENTANDO A DIREITA

Depois que o prefeito David Almeida (Avante) afirmou que continuaria em seu partido e não ingressaria mais no Partido Liberal (PL), apesar das tentativas com os caciques regional e nacional da sigla, Alfredo Nascimento e Valdemar da Costa Neto, o pré-candidato do partido em Manaus, o deputado federal Capitão Alberto Neto, intensificou sua pré-campanha nas redes sociais. Um card com a imagem de Alberto Neto e do ex-presidente Jair Bolsonaro, acompanhado da mensagem “Estou preparado para Manaus”, passou a circular.

Ver mais >>

Programas