AO VIVO

Impasses travam pedido de CPI de 8 de Janeiro no Senado

Requerimento de CPI é para investigar quem são os políticos e financiadores dos atos de vandalismo na sede dos Três Poderes

Por: Redação
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

Legislativo |

Impasses político e burocrático têm travado no Senado o pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos atos criminosos de 8 de janeiro.

Apresentado pela senadora Soraya Thronicke (União Brasil-MS), o requerimento de CPI pede a investigação de quem são os políticos e financiadores por trás dos atos de vandalismo nas sedes dos Três Poderes ocorridos em Brasília em 8 de janeiro deste ano, além da apuração de eventuais omissões cometidas por administradores públicos federais, estaduais e municipais no controle da segurança.

O pedido original foi feito ainda em janeiro, logo após os episódios de violência. Portanto, a coleta de assinaturas dos senadores em apoio à iniciativa aconteceu antes da atual legislatura, iniciada em fevereiro. Isso tem gerado divergências quanto às medidas necessárias para o prosseguimento do pedido.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), só deve ler o requerimento em plenário — um dos requisitos necessários para o funcionamento efetivo da CPI — após Soraya atualizar o documento com a ratificação das assinaturas dos senadores que continuam interessados em apoiar a CPI.

Nesta quinta (2), ela contava com o aval de 41 senadores em exercício. Flávio Arns (PSB-PR) foi o único a retirar a assinatura até o momento.

Contudo, Soraya afirma que não vai refazer o pedido de CPI nem ratificar as assinaturas, até porque o sistema não oferece essa possibilidade de somente atualizá-lo ou confirmá-lo, afirma.

“Não vou me submeter a um engano”, disse a senadora à CNN.

A senadora reitera que o pedido de CPI não perdeu validade nem deve ser atualizado já que ela como autora segue normalmente no mandato, conforme as regras da Casa.

“Quem não compreende dessa forma, é melhor ler o artigo (332 do regimento interno, sobre o tema)”, defende.

Enquanto não chegam a um consenso, o pedido está em uma espécie de limbo na burocracia do Senado. Embora tenha 14 assinaturas a mais do que o mínimo necessário, o requerimento não é considerado pronto para ser tocado ainda.

Nos bastidores, um ponto levantado por senadores que defendem a CPI de 8 de janeiro para a demora de uma resolução é a resistência de aliados do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em tocar a comissão investigativa. Parte dos aliados considera que o desenrolar da CPI pode respingar negativamente em autoridades da atual gestão. Portanto, o impasse seria, na verdade, político e dificuldades estariam sendo criadas para atrasar o processo.

Há senadores da base aliada de Lula que apoiam a CPI, mas alguns sinalizaram querer retirar a assinatura, como o líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA).

Defensores da CPI sabem que, se forem tentar ratificar as assinaturas, não contarão com o apoio de todos de novo. Inclusive, admitem que o receio de senadores serem mal vistos pelos eleitores se desistirem logo da assinatura em prol da CPI é o que impede alguns de já darem para trás.

Numa outra linha de frente, a reportagem apurou que os senadores que continuam em defesa da CPI tentam convencer os governistas de que é melhor a instalação de uma comissão, em princípio, mais independente no Senado do que uma CPI mista sobre os atos, cujo pedido foi apresentado pelo deputado federal André Fernandes (PL-CE).

Os defensores da CPI apresentado por Soraya argumentam ainda que o governo também teria mais controle sobre a narrativa da comissão do Senado, onde a gestão Lula tem uma base proporcionalmente maior e mais definida do que na Câmara, além de não dar palco para os principais aliados do ex-presidente da República Jair Bolsonaro (PL) no Congresso, como Carla Zambelli (PL-SP), Bia Kicis (PL-DF) e Eduardo Bolsonaro (PL-SP).

Com informações de CNNBrasil*
Foto: Divulgação

CPI impasses 8 de Janeiro

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

25/03
11:15

AFASTAMENTO DE SECRETÁRIO

O vereador Capitão Carpê utilizou a tribuna nesta segunda-feira (25) para solicitar ao prefeito David Almeida o afastamento do Secretário de Comunicação do município, Israel Conte. Carpê se baseia no fato de que o motorista do portal O Abutre confirmou à polícia o recebimento de dinheiro em espécie na prefeitura durante seu depoimento.

20/03
20:29

RAIFF NO UNIÃO

O vereador Raiff Matos (Democracia Cristã) deverá mudar de partido nos próximos dias. O parlamentar, que integra a base conservadora da Câmara Municipal de Manaus (CMM), está prestes a se juntar às fileiras do União Brasil. A confirmação foi feita na manhã desta terça-feira (19) à reportagem do site O Poder.com pelo vereador Diego Afonso (UB), líder da bancada na Câmara Municipal.

20/03
11:45

FAUSTO JR. NA CMM

Na manhã desta terça-feira (19), o deputado federal licenciado e atual secretário estadual de Desenvolvimento Urbano e Metropolitano, Fausto Júnior, esteve visitando a Câmara Municipal de Manaus, onde cumprimentou os vereadores. Após saudar os parlamentares, Fausto se reuniu a portas fechadas com o vereador Diego Afonso (UB). Questionado pela reportagem do site O Poder.com sobre a motivação da visita à câmara, o deputado afirmou que se tratava apenas de uma visita de “cortesia”.

13/03
11:21

BELÃO NO COMANDO

Cotado para concorrer à prefeitura de Fonte Boa nas Eleições de 2024, o ex-deputado estadual Belarmino Lins, mais conhecido como ‘Belão’, assumiu o comando do diretório do partido União Brasil naquele município. Belão, após 32 anos de vida pública e oito mandatos consecutivos na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), decidiu abandonar a política, mas agora almeja a prefeitura de Fonte Boa.

05/03
16:31

REPRESENTANDO A DIREITA

Depois que o prefeito David Almeida (Avante) afirmou que continuaria em seu partido e não ingressaria mais no Partido Liberal (PL), apesar das tentativas com os caciques regional e nacional da sigla, Alfredo Nascimento e Valdemar da Costa Neto, o pré-candidato do partido em Manaus, o deputado federal Capitão Alberto Neto, intensificou sua pré-campanha nas redes sociais. Um card com a imagem de Alberto Neto e do ex-presidente Jair Bolsonaro, acompanhado da mensagem “Estou preparado para Manaus”, passou a circular.

Ver mais >>

Programas