AO VIVO
Legislativo - 28 de junho de 2021
Foto:

Frente Parlamentar em Defesa da Zona Rural de Manaus realiza primeira reunião na CMM

Manaus-AM-  A primeira reunião da Frente Parlamentar em Defesa da Zona Rural Rodoviária e Ribeirinha, realizada nesta segunda-feira (28/6), da Câmara Municipal de Manaus (CMM), foi conduzida pela vereadora professora Jacqueline (PODE), escolhida como presidente da frente. Também participaram da reunião os vereadores Eduardo Alfaia (PMN), William Alemão (Cidadania), Peixoto (PTC) e Sandro Maia (DEM). […]

Por: Redação
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

Manaus-AM-  A primeira reunião da Frente Parlamentar em Defesa da Zona Rural Rodoviária e Ribeirinha, realizada nesta segunda-feira (28/6), da Câmara Municipal de Manaus (CMM), foi conduzida pela vereadora professora Jacqueline (PODE), escolhida como presidente da frente. Também participaram da reunião os vereadores Eduardo Alfaia (PMN), William Alemão (Cidadania), Peixoto (PTC) e Sandro Maia (DEM). Os parlamentares receberam líderes comunitários das estradas AM-010 e BR-174.

A vereadora explica que, o objetivo foi discutir a escolha dos membros da sociedade civil. “A Frente Parlamentar é uma frente mista de lideranças, órgãos não governamentais, sociedade civil organizada. Por esse motivo, começamos a nos reunir com os segmentos pra que a gente escolha quem vai participar”, disse.

A categoria também apresentou pautas com reivindicações de melhorias para a zona rural. Uma das principais discussões foi em relação a infraestrutura dos ramais e estradas. Para a representante do assentamento do Tarumã-Mirim, que fica na br-174, Ana Maria Reis, a frente terá papel importante na busca de melhorias para a comunidade. “Estamos vendo como uma oportunidade para abrir as portas das secretarias para resolver os problemas dos agricultores. A nossa realidade no assentamento, por exemplo, é muito crítica. Estamos desde 1997 no local e hoje necessitamos de tudo praticamente. Não temos infraestrutura, falta viabilidade para tirar nossas produções, temos problemas com saúde e educação”, relatou.

O vereador Eduardo Alfaia (PMN), que também é presidente da Comissão de Agricultura e Política Rural da Câmara Municipal (Comagri/CMM), destacou a importância da frente para a discussão de outros assuntos ligados ao setor rural. “Quando a gente cria essa Frente, enxergo a Câmara dando um grande passo rumo a olhar com mais atenção a zona rural da cidade de Manaus e para discutir os seus inúmeros problemas, como transporte público, saúde, educação, a questão da regularização fundiária, a problemática da energia elétrica. Então, a Frente será porta-voz das comunidades rurais”, completou.

A Frente Parlamentar em Defesa da Zona Rural Rodoviária e Ribeirinha de Manaus foi promulgada na última segunda-feira (21/6). A finalidade é fomentar políticas públicas permanentes para as comunidades, como desenvolvimento econômico, educação e turismo. Além dos vereadores membros, que ainda serão definidos, representantes de organizações da sociedade civil também podem aderir à Frente.

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

11/07
12:33

REUNIÕES SECRETAS

Executivos da Âmbar Energia, ligada ao Grupo J&F dos irmãos Joesley e Wesley Batista, realizaram secretamente 17 reuniões com autoridades do Ministério de Minas e Energia entre junho de 2023 e maio de 2024, sem registro oficial. Essas reuniões precederam a assinatura de uma medida provisória pelo presidente Lula em 13 de junho, beneficiando um negócio da Âmbar na energia elétrica, cujo custo será repassado aos consumidores por até 15 anos. O Ministério e a Âmbar negam que as reuniões tenham discutido a medida, mas não divulgaram os temas tratados. Críticas à falta de transparência foram levantadas, especialmente pela deputada Adriana Ventura (Novo-SP).

11/07
12:32

FRACA ARTICULAÇÃO

A aprovação da reforma tributária na Câmara revelou a fraca articulação dos senadores Eduardo Braga e Omar Aziz, que deixaram de incluir a maioria das propostas do Amazonas para a Zona Franca de Manaus (ZFM). O texto foi aprovado por 336 votos a favor e 142 contra. Foram incluídas apenas contribuições para financiar a UEA e fundos de desenvolvimento, além de crédito presumido para indústrias. Alterações cruciais, como a inclusão do IPI e crédito presumido para operações internas, foram rejeitadas. Os parlamentares precisarão trabalhar mais eficientemente no Senado.

11/07
12:31

SILAS CONTRA

A Câmara dos Deputados aprovou o primeiro projeto de regulamentação da reforma tributária com 336 votos a favor, 142 contra e duas abstenções. A maioria dos deputados do Amazonas votou contra devido aos impactos negativos na Zona Franca de Manaus (ZFM), com exceção de Silas Câmara (Republicanos-AM), que apoiou o projeto. Pauderney Avelino (União-AM) criticou a redução do crédito presumido e a falta de alíquota zero para operações internas, alertando sobre o aumento dos preços e a diminuição da competitividade no Amazonas. O próximo desafio será no Senado Federal.

11/07
12:30

DITADURA DA NICARÁGUA

A ditadura de Ortega na Nicarágua fechou a Radio María e mais 12 ONGs, totalizando 3,6 mil entidades fechadas em seis anos. A ministra do Interior, Maria Amelia Coronel, justificou o fechamento da rádio pela falta de demonstrações financeiras de 2019 a 2023. Ortega continua a perseguir a Igreja Católica, expulsando e detendo padres, e cancelando a cidadania de líderes religiosos, forçando-os ao exílio.

11/07
12:29

DEFESA DA ZFM

Wilson Lima, governador do Amazonas, promete lutar incansavelmente pela competitividade da Zona Franca de Manaus (ZFM) após a votação na Câmara dos Deputados que prejudicou o estado. Ele criticou a exclusão de emendas cruciais para o modelo econômico, enquanto duas sugestões foram aceitas, incluindo contribuições para financiar a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e fundos de desenvolvimento, além de créditos presumidos para indústrias. Alterações solicitadas, como a inclusão do IPI para produtos aprovados pela Suframa e crédito presumido para operações internas, foram rejeitadas.

Ver mais >>

Programas