AO VIVO
Legislativo - 21 de novembro de 2023
Foto: Reprodução

Ausência de Marina Silva gera tensão na CPI das ONGs

Os senadores Márcio Bittar (MDB-AC) e Beto Faro (PT-PA) discutiram devido à ausência da ministra convidada para a CPI das ONGs, que preferiu comparecer à COP28; presidente Plínio Valério (PSDB-AM) deve convocar ministra até o dia 05/12

Por: Leon Furtado
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

A ausência da ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, na CPI das ONGs gerou discussões acaloradas no Senado, nesta terça-feira (21). O presidente da comissão, Plínio Valério (PSDB-AM), expressou sua insatisfação com a decisão da ministra de não comparecer e explicou os esforços feitos para manter o convite, conforme acordado com o senador Beto Faro (PT-PA).

Valério argumentou que a CPI não pode se sujeitar aos compromissos de agenda da ministra e destacou as tentativas de diálogo. “Nós não podemos, por mais compreensão que tenhamos, eu tenho, a gente começou com o líder Jacques Wagner até esgotar, conversando de todo jeito, insistindo para que fosse convite, e só dependeu da resposta dela”, afirmou o presidente.

Ainda segundo Valério, Marina Silva apresentou suas limitações de datas, deixando a CPI com poucas opções viáveis. O senador ressaltou que a data proposta pela ministra coloca a comissão em uma situação delicada, à véspera do encerramento dos trabalhos. O presidente da CPI defendeu a necessidade de prosseguir com a investigação, levando em consideração a urgência e a importância do tema em discussão.

Beto Faro (PT-PA) interveio na discussão, explicando os compromissos da ministra Sônia Guajajara, que está envolvida em atividades relacionadas à COP28. Ele ressaltou a disposição da ministra Sônia em comparecer à CPI entre os dias 13 e 15 de dezembro, caso seja um convite. No entanto, Beto Faro trouxe informações sobre a ministra Marina Silva, indicando que ela também está disposta a participar, mas enfrenta desafios logísticos devido a sua agenda.

“Inclusive, falando dos dois temas, a ministra Sônia, todo mundo sabe que tem toda essa agenda da COP, eu, inclusive, estou indo à COP28. A ministra Marina Silva está hoje pro Sul, tem reunião amanhã com o governo, tem Paraná, tem o governo de Santa Catarina e o governo do Sul. Como é o primeiro requerimento dela, se for em convite, ela está se dispondo, ela chega no dia 12, aqui, em Brasília, de volta da COP.”

Beto Faro defendeu a disposição de Marina Silva em participar da CPI, apesar das dificuldades logísticas. Ele mencionou a presença da ministra em outras sessões do Senado, demonstrando seu apreço pela casa. O senador petista pediu compreensão diante das agendas complexas dos ministros.

‘Bate-boca’

A situação ficou acalourada durante o debate sobre a convocação. Márcio Bitar (MDB-AC), relator da CPI, expressou frustração com a falta de clareza nas propostas de datas apresentadas pelos representantes do governo. O bate-boca entre Bitar e Beto Faro revelou divergências sobre a convocação de Marina Silva.

O relator argumentou: “Olha, a convocação vai em branco, portanto ela combina essa data com o presidente. Ela foi convidada e não veio. Ela prefere ir pra COP, como eu já vi lá em Nova Iorque, do que dar prestação de conta do Brasil.

Beto Faro retrucou: “Imagina só se a ministra não vai à COP, né? Não é porque ela quer ir.”

Único que votou contra convocação de ministra

Beto Faro foi o único senador que votou contra a convocação da ministra, que ficou sem uma data definida para a apresentação. Diante da pressão para cumprir o calendário da CPI, que prevê a leitura do relatório até o dia 5 de dezembro, a ausência de Marina Silva nas próximas semanas pode impactar o andamento das investigações.

marcio bittar convocação cpi das ongs marina silva Plínio Valério #Senado

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

23/02
15:04

“FORA DA CURVA”

“Amom é um político ‘fora da curva’, diferenciado e um grande fenômeno no estado do Amazonas. Agregar apoio político e popular aos 23 anos de idade é algo que ocorre de tempos em tempos.” O comentário foi feito na manhã desta sexta-feira (23), no evento de lançamento da pré-candidatura do deputado federal Amom Mandel (Cidadania) a prefeito de Manaus, à reportagem do site O Poder.com pelo experiente político e membro do PSDB-AM, Humberto Michiles.

23/02
14:46

VICE DE AMOM?

O pré-candidato oficial da Federação PSDB-Cidadania, deputado federal Amom Mandel, tem a liberdade de escolher quem será seu vice na chapa à prefeitura de Manaus, sem nenhuma intervenção dos partidos e apoiadores de sua campanha. A afirmação foi feita pelo senador Plínio Valério, presidente da federação, em entrevista ao site OPoder.com. Amom afirmou que as conversas estão avançadas, mas ainda não há um nome definido.

08/02
14:52

FINANCIAMENTO PÚBLICO X PRIVADO

O deputado Adjuto Afonso (UB) comentou nesta quinta-feira, 08/02, durante o lançamento do programa de financiamento + Créditos Amazonas da AFEAM, que o governo tem facilitado muito para o microempreendedor do interior através do programa. Para o deputado, não foi surpresa o anúncio da agência ser a primeira do país em financiamento público para microempreendedores. Oriundo da calha do rio Purus, ele fala com propriedade.

01/02
11:45

VAI DE PDT

O vereador de Itacoatiara, Arnoud Lucas, que é pré-candidato à prefeitura daquele município, revelou ao site O Poder que aguardará o período da janela partidária (7 de março a 5 de abril) para sair do atual partido em que está filiado, o Partido Verde (PV), e mudar para o Partido Democrático Trabalhista (PDT). Ele afirmou que já recebeu o aval do presidente estadual da legenda no Amazonas, o ex-deputado estadual Luiz Castro, e acredita que terá no PDT-AM o suporte necessário para viabilizar o seu projeto de candidatura à prefeitura de Itacoatiara.

30/01
12:16

DISCORDÂNCIAS DE DESTERRO

Na 2ª sessão ordinária do TCE-AM em 30/01/2024, o conselheiro Érico Desterro expressou descontentamento com a mudança de postura do tribunal em relação aos pedidos de vista, lamentando a proibição de vistas para ausentes na sessão, embora tenha usado esse recurso. Apesar de concordar com a nova decisão, pediu sua aplicação uniforme. Surpreendido com a publicação de uma resolução sobre mudanças nas datas das câmaras, alegou falta de aprovação pelo pleno, solicitando revisão do procedimento. Apesar da derrota nesse tema, comprometeu-se a manter as sessões às segundas-feiras até a alteração no Regimento Interno.

Ver mais >>

Programas