AO VIVO

STF decide que criminosos condenados podem assumir cargo público após aprovação em concurso

O relator, Alexandre de Moraes, argumentou que a suspensão dos direitos políticos não impede o direito ao trabalho e que a decisão busca a reintegração social dos condenados, permitindo que contribuam produtivamente para a sociedade

Por: Redação
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

Nesta quarta-feira (4), o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que pessoas condenadas criminalmente podem ser nomeadas e empossadas em cargos públicos, desde que não haja relação entre o crime cometido e a função a ser exercida, nem conflito de horários entre o trabalho e o cumprimento da pena.

A decisão veio após o caso de um ex-preso por tráfico de drogas de Roraima que passou em um concurso público na Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) enquanto cumpria pena. A Funai negou sua posse, mas o juiz responsável concedeu liberdade condicional para que ele assumisse o cargo.

O STF enfatizou que a ressocialização dos presos no Brasil depende do estudo e do trabalho. A maioria dos ministros apoiou essa decisão, com exceção de Dias Toffoli e Cristiano Zanin.

No julgamento, o relator Alexandre de Moraes destacou que a suspensão dos direitos políticos em caso de condenação criminal definitiva “não impede o direito ao trabalho”. Ele argumentou que a ressocialização dos presos no Brasil é um desafio importante que só pode ser “enfrentado com a oportunidade de estudo e trabalho”.

Moraes ressaltou que, ao permitir que pessoas condenadas sejam nomeadas e empossadas em cargos públicos, desde que não haja relação direta entre o crime cometido e a função a ser exercida, a decisão do STF contribui para a “reintegração social desses indivíduos”. Ele também enfatizou que o cumprimento da pena não deve impedir que alguém tenha “a chance de trabalhar e contribuir para a sociedade de forma produtiva.”

Segundo ele, a decisão não abre precedentes para que pessoas condenadas por crimes graves ocupem cargos incompatíveis com suas condenações, mas sim “busca equilibrar a reabilitação dos condenados com a necessidade de preencher cargos públicos com profissionais qualificados.”

O tema da nomeação de pessoas condenadas em concursos públicos é bastante polêmico e envolve questões complexas. Alguns dos pontos polêmicos incluem:

Ressocialização versus punição

A decisão do STF levanta debates sobre a importância da ressocialização de pessoas condenadas como parte do sistema de justiça criminal. Alguns acreditam que dar a essas pessoas a oportunidade de trabalhar e contribuir para a sociedade é fundamental para sua reintegração, enquanto outros argumentam que isso pode ser visto como uma forma de recompensar criminosos.

Gravidade dos crimes

Outro ponto de controvérsia diz respeito à gravidade dos crimes cometidos pelos condenados. A decisão do STF estabelece que a nomeação só é permitida quando não houver relação direta entre o crime e a função a ser exercida. No entanto, determinar o que constitui uma relação direta pode ser subjetivo e gerar discordâncias.

Oportunidade igualitária

Alguns argumentam que permitir que pessoas condenadas sejam nomeadas em cargos públicos pode ser visto como uma oportunidade igualitária para que essas pessoas se recuperem e evitem a reincidência criminal. Outros argumentam que isso pode ser injusto para aqueles que não têm condenações criminais.

Confiança pública

A nomeação de pessoas condenadas pode levantar preocupações sobre a confiança pública nas instituições governamentais. Alguns cidadãos podem questionar a integridade do governo ao saber que indivíduos com histórico criminal estão ocupando cargos públicos.

Cumprimento de pena

A decisão também considera o cumprimento de pena e a concessão de benefícios, como liberdade condicional, para que os condenados possam assumir cargos públicos. Isso levanta a questão de como o sistema penal e o sistema de concursos públicos podem interagir de maneira justa e equitativa.

 

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

25/03
11:15

AFASTAMENTO DE SECRETÁRIO

O vereador Capitão Carpê utilizou a tribuna nesta segunda-feira (25) para solicitar ao prefeito David Almeida o afastamento do Secretário de Comunicação do município, Israel Conte. Carpê se baseia no fato de que o motorista do portal O Abutre confirmou à polícia o recebimento de dinheiro em espécie na prefeitura durante seu depoimento.

20/03
20:29

RAIFF NO UNIÃO

O vereador Raiff Matos (Democracia Cristã) deverá mudar de partido nos próximos dias. O parlamentar, que integra a base conservadora da Câmara Municipal de Manaus (CMM), está prestes a se juntar às fileiras do União Brasil. A confirmação foi feita na manhã desta terça-feira (19) à reportagem do site O Poder.com pelo vereador Diego Afonso (UB), líder da bancada na Câmara Municipal.

20/03
11:45

FAUSTO JR. NA CMM

Na manhã desta terça-feira (19), o deputado federal licenciado e atual secretário estadual de Desenvolvimento Urbano e Metropolitano, Fausto Júnior, esteve visitando a Câmara Municipal de Manaus, onde cumprimentou os vereadores. Após saudar os parlamentares, Fausto se reuniu a portas fechadas com o vereador Diego Afonso (UB). Questionado pela reportagem do site O Poder.com sobre a motivação da visita à câmara, o deputado afirmou que se tratava apenas de uma visita de “cortesia”.

13/03
11:21

BELÃO NO COMANDO

Cotado para concorrer à prefeitura de Fonte Boa nas Eleições de 2024, o ex-deputado estadual Belarmino Lins, mais conhecido como ‘Belão’, assumiu o comando do diretório do partido União Brasil naquele município. Belão, após 32 anos de vida pública e oito mandatos consecutivos na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), decidiu abandonar a política, mas agora almeja a prefeitura de Fonte Boa.

05/03
16:31

REPRESENTANDO A DIREITA

Depois que o prefeito David Almeida (Avante) afirmou que continuaria em seu partido e não ingressaria mais no Partido Liberal (PL), apesar das tentativas com os caciques regional e nacional da sigla, Alfredo Nascimento e Valdemar da Costa Neto, o pré-candidato do partido em Manaus, o deputado federal Capitão Alberto Neto, intensificou sua pré-campanha nas redes sociais. Um card com a imagem de Alberto Neto e do ex-presidente Jair Bolsonaro, acompanhado da mensagem “Estou preparado para Manaus”, passou a circular.

Ver mais >>

Programas