AO VIVO
Poder Judiciário - 22 de janeiro de 2024
Foto: Reprodução

Operações da PF reforçam tendência de criminalização da direita

À medida que as investigações avançam, uma tendência emerge: a crescente tentativa de criminalizar o movimento político de direita no país

Por: Leon Furtado
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

Os recentes casos investigados pela Polícia Federal (PF) no Brasil, que envolvem políticos de diversos espectros ideológicos, especialmente da direita, podem sinalizar uma tendência de tentativa de criminalização do movimento político. À medida que as investigações avançam, a linha tênue entre justiça e interesses políticos levanta questionamentos sobre a integridade das instituições e o papel da lei na esfera política brasileira.

Na semana passada, o deputado Carlos Jordy (PL) tornou-se alvo de uma operação da PF, alegando ser vítima de perseguição política. Em conversa com o  site O Poder, o advogado e analista político Anderson Fonseca observou as mudanças e pontuou uma inclinação mais à esquerda e uma forte propensão para investigar ações da direita, um desvio significativo em relação aos anos anteriores.

Fonseca observou que é inerente conduzir investigações para esclarecer esta nova dinâmica política. As atuais operações evidenciam uma fase política distinta e indicam que as mudanças no governo exercem impacto direto nas investigações em andamento. Ele argumentou que o significativo aumento de mandados de busca e apreensão emitidos recentemente pode ser justificado pela necessidade de uma análise mais aprofundada e se assemelham a um ciclo anterior. Durante a administração passada do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), a Polícia Federal desempenhou papel ativo em questões envolvendo o PT e outros partidos de esquerda. Agora, com um presidente alinhado à esquerda (do PT), as investigações se direcionam para as atividades políticas opostas.

“Temos observado um ciclo na primeira parte, na gestão passada do ex-presidente Jair Bolsonaro. Tivemos uma grande participação das atividades da Polícia Federal em relação ao PT e aos partidos de esquerda. Agora, estamos em um novo ciclo, considerando que temos um presidente alinhado à esquerda, do PT, investigando as atividades do que seria seu contrário na arena política. Nesse sentido, as operações que estão ocorrendo”, observou.

Fortalecimento da direita

O analista ressaltou a firmeza do pensamento dos apoiadores de Jair Bolsonaro e de outros setores da direita. Ele enfatizou a perspectiva de que eventos adversos possam ser habilmente utilizados como narrativa para fortalecer e ampliar o respaldo a essas ideias. Nesse contexto, existe a probabilidade de os adeptos da direita interpretarem tais acontecimentos como perseguição política, tanto por parte da Polícia Federal quanto de outras instituições policiais do país. O analista sugeriu que esses episódios, embora inicialmente pareçam desfavoráveis, têm o potencial de fortalecer o discurso desses grupos, consolidando posições e mobilizando mais apoio diante da percepção de uma ameaça à sua causa.

“Isso é muito prematuro para afirmarmos neste momento. No entanto, sempre há uma certa repercussão. Apesar disso, notamos que os seguidores de Jair Bolsonaro, do PL, da direita e da extrema direita no Brasil, de certa forma, são firmemente enraizados nesse pensamento. Situações desse tipo, embora possam parecer negativas, também podem servir como narrativa para aumentar o envolvimento dessas pessoas e demonstrar uma suposta perseguição política, inclusive da Polícia Federal e das instituições de polícia do nosso país, a esse pensamento mais arraigado na extrema direita. Com isso, podem não apenas manter, mas até angariar novos apoios e fortalecer seu discurso. Como mencionei, apesar de ser prematuro qualquer análise nesse sentido, o que observamos é exatamente essa tendência de utilizar isso como uma narrativa para reforçar posições e mostrar que estão sendo perseguidos, necessitando assim se fortalecer”, concluiu.

Operações com alvos na direita

A Polícia Federal contabilizou, em um ano de investigações desde os eventos de 8/1, 23 fases da Operação ‘Lesa Pátria’, que consolidou 97 mandados de prisão preventiva, 313 mandados de busca e apreensão, e a apreensão de bens que totalizam aproximadamente R$ 11.692.820,29 (onze milhões, seiscentos e noventa e dois mil, oitocentos e vinte reais e vinte e nove centavos). As investigações, de acordo com a PF, seguem em andamento.

Na décima fase, as detenções envolveram, pelo menos, quatro membros do partido vinculado ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Os indivíduos foram apreendidos por participação em eventos ocorridos em 8 de janeiro. Três deles foram candidatos nas eleições de 2022, enquanto outro é o dirigente do diretório municipal do Partido Liberal em Monte Azul (MG), Silvio de Melo Rocha.

Aline Leal Bastos Morais de Barros, que concorreu a deputada federal pelo PL, em Minas Gerais, na última eleição e obteve 4.693 votos, é oriunda de Montes Claros, no Norte de Minas. Claudebir Beatriz Da Silva Campos, professora que foi detida anteriormente no Pará pela PF a pedido do STF e posteriormente liberada, concorreu como candidata a deputada estadual pelo PL nas últimas eleições, angariando 1.460 votos.

Em Goiás, o ex-comandante da Rotam e coronel foi detido. Durante as eleições de 2022, ele foi candidato a deputado federal e obteve 10.343 votos. Ele já era alvo de um processo interno na corregedoria da corporação por ter gravado um vídeo, dizendo que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não tomaria posse, em dezembro de 2022.

Na 20ª fase, foram cumpridas uma prisão preventiva e dez mandados de busca e apreensão, todos expedidos pelo STF (Supremo Tribunal Federal). As medidas foram realizadas contra apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) das cidades de João Pessoa, Cabedelo (PB), Bayeux (PB), Mirassol do Oeste (MT) e Cáceres (MT).

governo federal Carlos Jordy Jair Bolsonaro polícia federal

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

25/03
11:15

AFASTAMENTO DE SECRETÁRIO

O vereador Capitão Carpê utilizou a tribuna nesta segunda-feira (25) para solicitar ao prefeito David Almeida o afastamento do Secretário de Comunicação do município, Israel Conte. Carpê se baseia no fato de que o motorista do portal O Abutre confirmou à polícia o recebimento de dinheiro em espécie na prefeitura durante seu depoimento.

20/03
20:29

RAIFF NO UNIÃO

O vereador Raiff Matos (Democracia Cristã) deverá mudar de partido nos próximos dias. O parlamentar, que integra a base conservadora da Câmara Municipal de Manaus (CMM), está prestes a se juntar às fileiras do União Brasil. A confirmação foi feita na manhã desta terça-feira (19) à reportagem do site O Poder.com pelo vereador Diego Afonso (UB), líder da bancada na Câmara Municipal.

20/03
11:45

FAUSTO JR. NA CMM

Na manhã desta terça-feira (19), o deputado federal licenciado e atual secretário estadual de Desenvolvimento Urbano e Metropolitano, Fausto Júnior, esteve visitando a Câmara Municipal de Manaus, onde cumprimentou os vereadores. Após saudar os parlamentares, Fausto se reuniu a portas fechadas com o vereador Diego Afonso (UB). Questionado pela reportagem do site O Poder.com sobre a motivação da visita à câmara, o deputado afirmou que se tratava apenas de uma visita de “cortesia”.

13/03
11:21

BELÃO NO COMANDO

Cotado para concorrer à prefeitura de Fonte Boa nas Eleições de 2024, o ex-deputado estadual Belarmino Lins, mais conhecido como ‘Belão’, assumiu o comando do diretório do partido União Brasil naquele município. Belão, após 32 anos de vida pública e oito mandatos consecutivos na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), decidiu abandonar a política, mas agora almeja a prefeitura de Fonte Boa.

05/03
16:31

REPRESENTANDO A DIREITA

Depois que o prefeito David Almeida (Avante) afirmou que continuaria em seu partido e não ingressaria mais no Partido Liberal (PL), apesar das tentativas com os caciques regional e nacional da sigla, Alfredo Nascimento e Valdemar da Costa Neto, o pré-candidato do partido em Manaus, o deputado federal Capitão Alberto Neto, intensificou sua pré-campanha nas redes sociais. Um card com a imagem de Alberto Neto e do ex-presidente Jair Bolsonaro, acompanhado da mensagem “Estou preparado para Manaus”, passou a circular.

Ver mais >>

Programas