AO VIVO
Poder Judiciário - 03 de abril de 2024
Foto: Reprodução/Internet

Julgamento que pode cassar Moro retoma hoje no TRE do Paraná

Ex-juiz da Lava Jato tem relator contra cassação, mas deve ter primeiro voto para perda de seu mandato no Senado

Por: Redação
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) retoma na tarde desta quarta-feira (3) o julgamento do pedido de cassação do mandato de senador do ex-juiz federal Sergio Moro (União-PR), que combateu o maior esquema de corrupção já descoberto no Brasil, na Operação Lava Jato.

A apreciação das ações dos partidos PL, PT, PCdoB e PV contra Moro ocorre dois dias após uma primeira sessão que durou quatro horas e deu a Moro a vantagem de um voto contra a perda de seu mandato, dado pelo desembargador Luciano Carrasco Falavinha, relator do caso.

Mas há a perspectiva de que Moro receba o primeiro voto pela sua cassação, vindo do desembargador José Rodrigo Sade, que chegou à Corte Eleitoral do Paraná neste ano, após ser nomeado pelo presidente Lula (PT), que foi alvo da Lava Jato e chegou a ser preso e condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, por sentença de Moro, em 2018.

Em seu voto pela improcedência das ações que acusam Moro de “abuso de poder econômico”, nas eleições de 2022, o relator Luciano Carrasco Falavinha exaltou ações de Moro no julgamento da Operação Lava Jato. Mas ressaltou que o TRE do Paraná não deve levar em conta a atuação do ex-juiz federal no combate à corrupção.

“Não se vai aqui julgar a Operação Lava Jato. Seus personagens, acertos e erros. Não se vai aqui dizer de seus acertos, ou seja, dos bilhões de reais devolvidos aos cofres públicos pela prática confessada de corrupção nunca vista antes na história desse pais”, disse Falavinha.

Para o relator, Moro não cometeu abuso de poder econômico, não praticou caixa dois, nem fez uso indevido dos meios de comunicação e formação de quadrilha. O desembargador concluiu que não há doutrina ou provas que corroborem com as acusações contra o senador eleito com quase 2 milhões de votos.

O julgamento será retomado às 14h de hoje, mas pode ser realizada uma terceira sessão, se necessário, na próxima segunda-feira (8).

Questionamentos e defesa

O pedido de cassação foi formalizado pelo PT, por meio da federação com o PCdoB e PV,  e até pelo PL do seu aliado e rival do petista, o ex-presidente Jair Bolsonaro. A alegação dos partidos é de que o Podemos utilizou recursos do fundo partidário ou eleitoral para difundir a pré-candidatura de Moro a presidente, em 2022. E que o ex-juiz teria “aproveitado” para sua candidatura ao Senado, como se ele fosse um ilustre desconhecido cuja campanha teria sido turbinada, antes de migrar para uma disputa de menor visibilidade, menor circunscrição e teto de gastos vinte vezes menor

Em dezembro de 2023, o Ministério Público Eleitoral deu parecer favorável à cassação e inelegibilidade de Moro, no processo em que partidos questionam gastos de sua campanha eleitoral, que teriam causado desequilíbrio eleitoral na disputa pela vaga do Senado. As siglas citam como exemplo a compra de um carro blindado e gastos com segurança particular.

Além disso, os partidos acusam Moro de arrecadação e gastos eleitorais ilícitos, e de mau uso dos meios de comunicação.

Ex-ministro da Justiça e da Segurança Pública do governo Bolsonaro, Sérgio Moro defende que o pedido de cassação será improcedente, ao discordar do fato de o Ministério Público Eleitoral ter considerado gastos fora do Paraná e outros “indiferentes eleitorais”, como segurança para lhe proteger de ser assassinado pelo PCC, igualados a “despesas pré-eleitorais”.

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

25/03
11:15

AFASTAMENTO DE SECRETÁRIO

O vereador Capitão Carpê utilizou a tribuna nesta segunda-feira (25) para solicitar ao prefeito David Almeida o afastamento do Secretário de Comunicação do município, Israel Conte. Carpê se baseia no fato de que o motorista do portal O Abutre confirmou à polícia o recebimento de dinheiro em espécie na prefeitura durante seu depoimento.

20/03
20:29

RAIFF NO UNIÃO

O vereador Raiff Matos (Democracia Cristã) deverá mudar de partido nos próximos dias. O parlamentar, que integra a base conservadora da Câmara Municipal de Manaus (CMM), está prestes a se juntar às fileiras do União Brasil. A confirmação foi feita na manhã desta terça-feira (19) à reportagem do site O Poder.com pelo vereador Diego Afonso (UB), líder da bancada na Câmara Municipal.

20/03
11:45

FAUSTO JR. NA CMM

Na manhã desta terça-feira (19), o deputado federal licenciado e atual secretário estadual de Desenvolvimento Urbano e Metropolitano, Fausto Júnior, esteve visitando a Câmara Municipal de Manaus, onde cumprimentou os vereadores. Após saudar os parlamentares, Fausto se reuniu a portas fechadas com o vereador Diego Afonso (UB). Questionado pela reportagem do site O Poder.com sobre a motivação da visita à câmara, o deputado afirmou que se tratava apenas de uma visita de “cortesia”.

13/03
11:21

BELÃO NO COMANDO

Cotado para concorrer à prefeitura de Fonte Boa nas Eleições de 2024, o ex-deputado estadual Belarmino Lins, mais conhecido como ‘Belão’, assumiu o comando do diretório do partido União Brasil naquele município. Belão, após 32 anos de vida pública e oito mandatos consecutivos na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), decidiu abandonar a política, mas agora almeja a prefeitura de Fonte Boa.

05/03
16:31

REPRESENTANDO A DIREITA

Depois que o prefeito David Almeida (Avante) afirmou que continuaria em seu partido e não ingressaria mais no Partido Liberal (PL), apesar das tentativas com os caciques regional e nacional da sigla, Alfredo Nascimento e Valdemar da Costa Neto, o pré-candidato do partido em Manaus, o deputado federal Capitão Alberto Neto, intensificou sua pré-campanha nas redes sociais. Um card com a imagem de Alberto Neto e do ex-presidente Jair Bolsonaro, acompanhado da mensagem “Estou preparado para Manaus”, passou a circular.

Ver mais >>

Programas