AO VIVO

Vice-prefeito revela ameaças de Simão Peixoto no retorno à prefeitura de Borba

A denúncia do vice-prefeito aconteceu um programa de TV local nesta quinta-feira (14)

Por: Alvaro Corado
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

O vice-prefeito de Borba, José Pedro Freitas Graça, alega que desde o retorno do prefeito Simão Peixoto ao comando da prefeitura, tem sido vítima de perseguição e ameaças por parte do prefeito que estava afastado. Peixoto foi detido em maio por envolvimento em crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, porém, conseguiu retomar suas funções como prefeito após uma decisão do Tribunal Regional Federal (TRF-1).

A denúncia do vice-prefeito aconteceu um programa de TV local nesta quinta-feira (14).

“O prefeito Simão voltou com aquela mesma arrogância e agora eu acredito que bem pior por conta que as ameaças continuam, muitas exonerações desde o dia 8 pra cá continuam. As pessoas que fizeram parte não do José Pedro e sim da prefeitura, quem ajudou a gestão ele está mandando embora pra casa. Perseguindo todo mundo”, declarou José Pedro.

O vice-prefeito ainda disse que Simão Peixoto o ofendeu várias vezes. “Me chamou de muitos nomes pejorativos, que eu tenho tudo gravado, estou representando isso na Justiça.”, declarou ele na entrevista.

Conforme as denúncias de José Pedro, a maior indignação de Simão Peixoto é de que no dia de seu retorno ao município poucas pessoas foram recebê-lo em carreata.

“A primeira vez que ele foi preso, a população realmente foi consolidada, inclusive eu estava, fui recebê-lo, deu uma população gigantesca, agora na segunda não passou de quinhentas pessoas. Então aí começa a revolta do Simão”, relatou.

Ameaças

De acordo com José Pedro, o prefeito de Borba Simão Peixoto passou em frente a sua casa no retorno ao município, no dia 8 de setembro “fez muitas arruaças lá no dia da carreata. E eu fiquei trancado, com a minha família dentro da minha casa, porém as ameaças não pararam”, completou.

Além das acusações diretas dirigidas, o vice-prefeito relatou um incidente envolvendo o secretário de segurança do município e o líder da guarda municipal. O vice-prefeito afirmou que ambos o seguiram durante um compromisso oficial, com a intenção de ameaçá-lo. Esses acontecimentos, de acordo com ele, têm contribuído para a criação de um clima de instabilidade e tensão na gestão local.

“Eu fui fazer uma viagem no rio Mapiá. Três minutos que eu saí o secretário de segurança junto com o chefe da guarda [municipal] chegaram atrás de mim. Todos armados perguntando para onde eu tinha ido. Depois que eu cheguei na comunidade que só vai de balsa eu liguei a minha internet para falar com a minha família e eles estavam apavorados. Me disseram falando que alguém ligou para eles dizendo que o secretário de segurança e o chefe da guarda municipal tinham ido atrás de mim”, disse.

 Simão Peixoto se manifesta

Em nota, o prefeito de Borba Simão Peixoto rechaçou todas as acusações feitas pelo vice-prefeito no programa de notícias. A nota diz ainda que as afirmações são ‘infundadas e levianas’.

Leia a nota na íntegra:

O prefeito de Borba, Simão Peixoto, vem a público rechaçar todas as acusações proferidas pelo vice-prefeito José Graça a emissoras de rádio e de televisão de Manaus nesta quinta-feira (14/09). As informações são infundadas e levianas. O prefeito de Borba reitera o seu compromisso com a verdade no sentido de esclarecer informações distorcidas. Simao Peixoto não ameaçou o atual vice-prefeito e nem o está perseguindo.

No sentido de proteger os recursos públicos, que são da população do município e não de grupos políticos, o prefeito Simão aguarda as explicações que o vice-prefeito deverá fornecer ao Ministério Público Federal (MPF) sobre os motivos que o levaram a interromper o fornecimento da merenda aos estudantes no período em que foi prefeito; esclarecer por que o transporte escolar foi paralisado.

Além dessas explicações ao MPF, o vice-prefeito José Graça deve esclarecer para a população de Borba porque dispensou licitação no valor de quase R$ 1,5 milhão para comprar combustível no posto do marido da sobrinha dele.

O prefeito Simão lamenta o comportamento público do vice-prefeito, que ocorreu um dia depois de a Câmara Municipal de Borba abrir processo de cassação do mandato dele.

O prefeito de Borba reitera que governa para todos os borbenses e que, neste momento está voltado para o planejamento das melhorias das ações públicas, de modo que os serviços sejam eficientes para a população.

Veja também:

 

Leia ainda:

borba #simãopeixoto

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

11/07
12:33

REUNIÕES SECRETAS

Executivos da Âmbar Energia, ligada ao Grupo J&F dos irmãos Joesley e Wesley Batista, realizaram secretamente 17 reuniões com autoridades do Ministério de Minas e Energia entre junho de 2023 e maio de 2024, sem registro oficial. Essas reuniões precederam a assinatura de uma medida provisória pelo presidente Lula em 13 de junho, beneficiando um negócio da Âmbar na energia elétrica, cujo custo será repassado aos consumidores por até 15 anos. O Ministério e a Âmbar negam que as reuniões tenham discutido a medida, mas não divulgaram os temas tratados. Críticas à falta de transparência foram levantadas, especialmente pela deputada Adriana Ventura (Novo-SP).

11/07
12:32

FRACA ARTICULAÇÃO

A aprovação da reforma tributária na Câmara revelou a fraca articulação dos senadores Eduardo Braga e Omar Aziz, que deixaram de incluir a maioria das propostas do Amazonas para a Zona Franca de Manaus (ZFM). O texto foi aprovado por 336 votos a favor e 142 contra. Foram incluídas apenas contribuições para financiar a UEA e fundos de desenvolvimento, além de crédito presumido para indústrias. Alterações cruciais, como a inclusão do IPI e crédito presumido para operações internas, foram rejeitadas. Os parlamentares precisarão trabalhar mais eficientemente no Senado.

11/07
12:31

SILAS CONTRA

A Câmara dos Deputados aprovou o primeiro projeto de regulamentação da reforma tributária com 336 votos a favor, 142 contra e duas abstenções. A maioria dos deputados do Amazonas votou contra devido aos impactos negativos na Zona Franca de Manaus (ZFM), com exceção de Silas Câmara (Republicanos-AM), que apoiou o projeto. Pauderney Avelino (União-AM) criticou a redução do crédito presumido e a falta de alíquota zero para operações internas, alertando sobre o aumento dos preços e a diminuição da competitividade no Amazonas. O próximo desafio será no Senado Federal.

11/07
12:30

DITADURA DA NICARÁGUA

A ditadura de Ortega na Nicarágua fechou a Radio María e mais 12 ONGs, totalizando 3,6 mil entidades fechadas em seis anos. A ministra do Interior, Maria Amelia Coronel, justificou o fechamento da rádio pela falta de demonstrações financeiras de 2019 a 2023. Ortega continua a perseguir a Igreja Católica, expulsando e detendo padres, e cancelando a cidadania de líderes religiosos, forçando-os ao exílio.

11/07
12:29

DEFESA DA ZFM

Wilson Lima, governador do Amazonas, promete lutar incansavelmente pela competitividade da Zona Franca de Manaus (ZFM) após a votação na Câmara dos Deputados que prejudicou o estado. Ele criticou a exclusão de emendas cruciais para o modelo econômico, enquanto duas sugestões foram aceitas, incluindo contribuições para financiar a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e fundos de desenvolvimento, além de créditos presumidos para indústrias. Alterações solicitadas, como a inclusão do IPI para produtos aprovados pela Suframa e crédito presumido para operações internas, foram rejeitadas.

Ver mais >>

Programas