AO VIVO
Executivo - 02 de janeiro de 2024
Foto: REUTERS/Amir Cohen

Sobreviventes de festival atacado por Hamas processam autoridades

Eles pedem 50 milhões de euros de indenização por negligência

Por: Agência Brasil
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

Cerca de 50 sobreviventes dos ataques do Hamas contra um festival de música em 7 de outubro em Israel apresentaram pedido de indenização de 50 milhões de euros contra o Ministério da Defesa e o Exército, por negligência.

A ação foi apresentada em tribunal de Tel Aviv, com base em alegações das autoridades de segurança israelenses de que dispunham de informações sobre possíveis ameaças contra o festival, perto do kibbutz Rei`m, um dos locais onde o Hamas cometeu os ataques.

“Seria necessária uma única chamada telefônica de funcionários das Forças de Defesa de Israel [FDI] ao comandante responsável pela festa para que fosse imediatamente dispersada”, diz o grupo em sua queixa, segundo o diário The Times of Israel.

“Considerando o perigo esperado, teriam sido salvas vidas e evitadas lesões físicas e mentais a centenas de participantes na festa, incluindo os que apresentam esta queixa. A negligência e o grave descuido são incríveis”, diz o recurso, dirigido também ao Serviço de Segurança (Shin Bet) e à polícia de Israel.

A petição, no valor de 200 milhões de shekel (50 milhões de euros) de compensação – por danos físicos, psicológicos ou despesas médicas – inclui o relato de sobreviventes sobre diversos crimes praticados na ocasião, e como os homens do Hamas conseguiram escapar durante as mais de seis horas em que ocorreu a ação armada.

“O Hamas assassinou 364 participantes na festa e sequestrou 40, alguns já libertados e outros que continuam desaparecidos. Muitos ficaram feridos física ou mentalmente, incluindo os que apresentam esta queixa”, prossegue o texto.

O mais recente conflito entre Israel e o Hamas foi desencadeado após um ataque sem precedentes do movimento islâmico palestino em território israelense em 7 de outubro.

No total, foram mortas nesse dia 1.140 pessoas, a maioria civis, incluindo cerca de 400 militares, segundo os últimos números oficiais israelenses. Cerca de 240 civis e militares foram sequestrados, com Israel assegurando que 127 permanecem em Gaza.

Em retaliação, Israel, que prometeu destruir o movimento palestino, bombardeia desde 7 de outubro a Faixa de Gaza. Segundo o governo local, liderado pelo Hamas, já foram mortas mais de 22 mil pessoas – a maioria mulheres, crianças e adolescentes – e feridas mais de 54 mil, a maioria civis. Também foram destruídas a maioria das infraestruturas e cerca de 2 milhões de pessoas foram forçadas a abandonar suas casas, a quase totalidade do enclave, de 2,3 milhões de habitantes.

A população da Faixa de Gaza também se confronta com uma crise humanitária sem precedentes, devido ao colapso dos hospitais, o surto de epidemias e escassez de água potável, alimentos, medicamentos e eletricidade. Desde 7 de outubro, mais de 300 palestinos também já foram mortos pelo Exército israelense e por ataques de colonos na Cisjordânia e Jerusalém leste, ocupados pelo Estado judaico.

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

22/07
12:28

INVESTIMENTO MORADIAS

O governador Wilson Lima pagou cinco milhões e quinhentos mil reais para cento e setenta e oito famílias das comunidades Sharp e Manaus 2000, no Programa Amazonas Meu Lar, na última quinta-feira (18). O pagamento inclui bônus de sessenta mil reais, auxílio de seis mil e seiscentos reais e bolsa moradia de três mil e trezentos reais. A ação faz parte do Prosamin+, que já reassentou mais de mil e trezentas famílias e investiu cento e vinte e dois milhões de reais desde 2022. A próxima fase do programa, iniciada em 15 de julho de 2024, oferece subsídios para entrada em imóveis financiados com FGTS.

22/07
12:22

PROPOSTA DE CIDADE

Projeto de Lei nº 014/2024, do deputado Roberto Cidade (União Brasil), propõe criar as Comunidades Turísticas Sustentáveis (CTS) e o Selo Amazonense de Turismo Sustentável na Assembleia Legislativa do Amazonas. O objetivo é promover o turismo sustentável e apoiar as comunidades locais, oferecendo benefícios como linhas de crédito e capacitação técnica. O selo terá validade determinada pelo Executivo e precisará ser renovado periodicamente.

22/07
12:22

GASTO NO CAREIRO

A Prefeitura de Careiro da Várzea destinou quase R$ 250 mil para a reforma da Unidade Básica de Saúde Lucilene Batista do Vale, contratando a empresa P.R. Serviços de Reformas Prediais Ltda. O contrato foi assinado pelo prefeito Pedro Duarte Guedes em 8 de julho de 2024. A empresa tem capital social de R$ 10,5 mil e está localizada em Manaus, atuando na reforma predial. O contrato inclui a emissão da nota de empenho pela Secretaria Municipal de Finanças e a publicação dos documentos necessários no Diário Oficial e no Portal Nacional de Contratações Públicas (PNCP).

22/07
12:20

MULHERES NO PARLAMENTO

Beruri, no Amazonas, é uma das 45 cidades brasileiras com maioria feminina no parlamento municipal em 2020, sendo a única do estado com essa característica. Das 5,5 mil cidades do país, menos de 1% têm maioria feminina nas câmaras municipais. A Câmara de Beruri conta com 9 parlamentares, dos quais 5 são mulheres. Apesar das mulheres serem maioria no eleitorado e em cargos de mesários, a representatividade feminina na política é limitada.

22/07
12:19

APAGÃO VIRTUAL

Nesta sexta-feira (19), um apagão cibernético global, causado por um problema com a empresa de segurança cibernética CrowdStrike, afetou empresas e serviços em vários países, incluindo o Brasil. No país, os problemas começaram a ser reportados às 8h, impactando serviços da Microsoft e sistemas de bancos como Bradesco, Banco do Brasil, Neon, Next e Banco Pan. A Azul Linhas Aéreas também informou possíveis atrasos em voos devido a falhas no sistema de reservas.

Ver mais >>

Programas