AO VIVO
Executivo - 02 de novembro de 2023
Foto: Latrach Med Jamil/ Unsplash

Conflito Israel-Hamas reconfigura a política ocidental

O confronto em curso provocou uma reavaliação na maneira como a política ocidental; segundo o analista político Ross Douthat, do The New York Times, à medida que o debate iniciou houve um aumento da simpatia pelos palestinos

Por: Leon Furtado
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

Os pro-Israel, nos Estados Unidos, eram divididos em três grandes facções: os Democratas sionistas, centristas e liberais; os falcões neoconservadores; e os cristãos evangélicos. Segundo o analista político Ross Douthat, em um artigo publicado no jornal The New York Times, à medida que o debate migrou para a esquerda, houve um aumento da simpatia pelos palestinos, com os progressistas americanos e a sabedoria convencional europeia encontrando terreno comum em suas críticas à ocupação israelense.

Além disso, novas tendências ideológicas começaram a surgir, como uma radicalização mais acentuada do progressismo nos últimos anos e a possibilidade de uma aliança entre a diáspora muçulmana na Europa e o progressismo secular, feminista e favorável aos direitos dos homossexuais, o que desafia as convenções muçulmanas.

A relação entre a Europa e Israel também está em destaque, com os britânicos demonstrando mais simpatia pelos israelenses, enquanto o presidente francês Emmanuel Macron enfrenta diferentes percepções em relação a proibir manifestações a favor da Palestina, em comparação com 2005.

Nos Estados Unidos, Ross Douthat observa que as pressões sobre judeus progressistas e democratas sionistas têm se concentrado mais à direita, levantando questionamentos sobre o futuro dos democratas sionistas em face das mudanças geracionais no partido.

O autor também aponta o surgimento de uma nova variante do neoconservadorismo, uma aliança incipiente contra o progressismo, na qual os liberais pró-Israel não se sentem à vontade para se unir ao trumpismo Republicano, mas também estão afastados do progressismo a ponto de não se encaixarem em uma coalizão de centro-esquerda.

Douthat destaca ainda o forte apoio evangélico a Israel e o receio de alguns em se alinhar à direita devido ao antissemitismo, que foi estimulado durante a campanha de Donald Trump em 2016. Apesar do governo de Trump ter sido pró-Israel, ele adotou abordagens extremamente transacionais.

O analista acredita que, a longo prazo, os judeus americanos possam se inclinar mais para a direita, principalmente devido às taxas de natalidade aceleradas na comunidade ortodoxa. No entanto, ele prevê uma instabilidade tanto na direita quanto na esquerda, à medida que as pessoas reconhecem como o debate sobre Israel e os palestinos reflete as mudanças em curso no mundo ocidental.

progressismo democratas sionistas neoconservadorismo judeus evangelicos judeus progressistas Conflito Israel-Hamas alianças ideológicas política ocidental antissemitismo Ross Douthat mudanças políticas

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

28/02
17:10

DAVID E VALDEMAR?

Esta semana, cresceram as especulações de que o prefeito David Almeida se encontraria com o presidente nacional do PL para supostamente tratar do seu ingresso à legenda de Bolsonaro. Nem ontem nem hoje aconteceu encontro algum, de acordo com a agenda de Valdemar da Costa Neto até esta quarta-feira (28). Fala-se até em uma chapa encabeçada por David, com o deputado Alberto Neto como vice; no entanto, Neto afirmou em entrevista nesta terça-feira (27) que é o pré-candidato da direita em Manaus e conta com o apoio do ex-presidente.

23/02
15:04

“FORA DA CURVA”

“Amom é um político ‘fora da curva’, diferenciado e um grande fenômeno no estado do Amazonas. Agregar apoio político e popular aos 23 anos de idade é algo que ocorre de tempos em tempos.” O comentário foi feito na manhã desta sexta-feira (23), no evento de lançamento da pré-candidatura do deputado federal Amom Mandel (Cidadania) a prefeito de Manaus, à reportagem do site O Poder.com pelo experiente político e membro do PSDB-AM, Humberto Michiles.

23/02
14:46

VICE DE AMOM?

O pré-candidato oficial da Federação PSDB-Cidadania, deputado federal Amom Mandel, tem a liberdade de escolher quem será seu vice na chapa à prefeitura de Manaus, sem nenhuma intervenção dos partidos e apoiadores de sua campanha. A afirmação foi feita pelo senador Plínio Valério, presidente da federação, em entrevista ao site OPoder.com. Amom afirmou que as conversas estão avançadas, mas ainda não há um nome definido.

08/02
14:52

FINANCIAMENTO PÚBLICO X PRIVADO

O deputado Adjuto Afonso (UB) comentou nesta quinta-feira, 08/02, durante o lançamento do programa de financiamento + Créditos Amazonas da AFEAM, que o governo tem facilitado muito para o microempreendedor do interior através do programa. Para o deputado, não foi surpresa o anúncio da agência ser a primeira do país em financiamento público para microempreendedores. Oriundo da calha do rio Purus, ele fala com propriedade.

01/02
11:45

VAI DE PDT

O vereador de Itacoatiara, Arnoud Lucas, que é pré-candidato à prefeitura daquele município, revelou ao site O Poder que aguardará o período da janela partidária (7 de março a 5 de abril) para sair do atual partido em que está filiado, o Partido Verde (PV), e mudar para o Partido Democrático Trabalhista (PDT). Ele afirmou que já recebeu o aval do presidente estadual da legenda no Amazonas, o ex-deputado estadual Luiz Castro, e acredita que terá no PDT-AM o suporte necessário para viabilizar o seu projeto de candidatura à prefeitura de Itacoatiara.

Ver mais >>

Programas