AO VIVO
Executivo - 02 de janeiro de 2024
Foto: Reprodução

‘Carece de credibilidade’, diz Menezes sobre pesquisa para a prefeitura de Manaus

Ele criticou a pesquisa eleitoral por não incluir seu nome, questionando sua credibilidade, uma vez que se declarou pré-candidato para as eleições de 2024. Além disso, esclareceu sua posição no PL

Por: Leon Furtado
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

O Coronel Alfredo Menezes (PL) questionou, por meio das redes sociais, a credibilidade da mais recente pesquisa eleitoral para a Prefeitura de Manaus, divulgada em 31 de dezembro. A pesquisa de intensão de voto não incluiu seu nome, apesar de ele ter se declarado pré-candidato para as eleições de 2024. Menezes teve uma votação expressiva nas últimas eleições municipais de Manaus e questionou a validade dos levantamentos.

“Qualquer pesquisa na qual não apareça o meu nome carece de credibilidade, porque eu não vou desistir de disputar,” afirmou ao deixar clara sua convicção na corrida eleitoral. Ele lembrou que, nas últimas eleições municipais, conquistou 544 mil votos, um número significativo que, em sua visão, deveria garantir sua presença em pesquisas atuais.

Na ocasião, também esclareceu a posição dele no atual cenário político. “Continuo oficialmente no PL, mas estou conversando com alguns partidos e avaliando todas as possibilidades,” declarou, indicando uma possível reavaliação de sua filiação partidária. Esta afirmação sinaliza um cenário político em movimento, com Menezes buscando consolidar sua candidatura nas próximas eleições.

Apesar da controvérsia em torno da pesquisa, o Coronel Menezes ressaltou que não tem pressa em definir seus passos. “Enfim, tenho tempo para escolher o melhor caminho e não farei nada apressadamente. Eu tenho partido, PL, sou pré-candidato, o partido ainda não definiu oficialmente quem será o candidato para disputar as eleições, portanto, eu por direito não deveria ficar de fora de nenhuma pesquisa, salvo se ela estiver atendendo interesses específicos,” argumentou.

Sem Amom, Almeida avançou

A última pesquisa eleitoral realizada pelo Instituto Perspectiva mostra a continuidade da liderança do atual prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), na corrida para a reeleição em 2024. A pesquisa ganhou relevância com a desistência do deputado federal Amom Mandel (Cidadania), que ocupava o segundo lugar em pesquisas anteriores e era considerado um forte concorrente.

Os dados divulgados no último domingo, 31 de dezembro, destacam a vantagem consolidada de David Almeida. Segundo a pesquisa estimulada, ele possui 36,3% das intenções de voto, superando significativamente o segundo colocado, o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), deputado Roberto Cidade (UB), que tem 13,8%. Em terceiro lugar, com 13,0% das intenções de voto, aparece o capitão Alberto Neto, estando tecnicamente empatado com Cidade.

#Coronel Menezes eleições 2024 Intenções de voto

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

11/07
12:33

REUNIÕES SECRETAS

Executivos da Âmbar Energia, ligada ao Grupo J&F dos irmãos Joesley e Wesley Batista, realizaram secretamente 17 reuniões com autoridades do Ministério de Minas e Energia entre junho de 2023 e maio de 2024, sem registro oficial. Essas reuniões precederam a assinatura de uma medida provisória pelo presidente Lula em 13 de junho, beneficiando um negócio da Âmbar na energia elétrica, cujo custo será repassado aos consumidores por até 15 anos. O Ministério e a Âmbar negam que as reuniões tenham discutido a medida, mas não divulgaram os temas tratados. Críticas à falta de transparência foram levantadas, especialmente pela deputada Adriana Ventura (Novo-SP).

11/07
12:32

FRACA ARTICULAÇÃO

A aprovação da reforma tributária na Câmara revelou a fraca articulação dos senadores Eduardo Braga e Omar Aziz, que deixaram de incluir a maioria das propostas do Amazonas para a Zona Franca de Manaus (ZFM). O texto foi aprovado por 336 votos a favor e 142 contra. Foram incluídas apenas contribuições para financiar a UEA e fundos de desenvolvimento, além de crédito presumido para indústrias. Alterações cruciais, como a inclusão do IPI e crédito presumido para operações internas, foram rejeitadas. Os parlamentares precisarão trabalhar mais eficientemente no Senado.

11/07
12:31

SILAS CONTRA

A Câmara dos Deputados aprovou o primeiro projeto de regulamentação da reforma tributária com 336 votos a favor, 142 contra e duas abstenções. A maioria dos deputados do Amazonas votou contra devido aos impactos negativos na Zona Franca de Manaus (ZFM), com exceção de Silas Câmara (Republicanos-AM), que apoiou o projeto. Pauderney Avelino (União-AM) criticou a redução do crédito presumido e a falta de alíquota zero para operações internas, alertando sobre o aumento dos preços e a diminuição da competitividade no Amazonas. O próximo desafio será no Senado Federal.

11/07
12:30

DITADURA DA NICARÁGUA

A ditadura de Ortega na Nicarágua fechou a Radio María e mais 12 ONGs, totalizando 3,6 mil entidades fechadas em seis anos. A ministra do Interior, Maria Amelia Coronel, justificou o fechamento da rádio pela falta de demonstrações financeiras de 2019 a 2023. Ortega continua a perseguir a Igreja Católica, expulsando e detendo padres, e cancelando a cidadania de líderes religiosos, forçando-os ao exílio.

11/07
12:29

DEFESA DA ZFM

Wilson Lima, governador do Amazonas, promete lutar incansavelmente pela competitividade da Zona Franca de Manaus (ZFM) após a votação na Câmara dos Deputados que prejudicou o estado. Ele criticou a exclusão de emendas cruciais para o modelo econômico, enquanto duas sugestões foram aceitas, incluindo contribuições para financiar a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e fundos de desenvolvimento, além de créditos presumidos para indústrias. Alterações solicitadas, como a inclusão do IPI para produtos aprovados pela Suframa e crédito presumido para operações internas, foram rejeitadas.

Ver mais >>

Programas