AO VIVO
Executivo - 19 de janeiro de 2024
Foto: Reprodução

Autoritarismo do governo federal ameaça autonomia de secretarias de economia

Em conversa com o site O Poder, o economista Orígenes Martins destacou que os locais podem sofrer falta de autonomia devido o autoritarismo e centralismo do governo federal

Por: Leon Furtado
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

O cenário econômico em 2024 tem o potencial de provocar mudanças na administração dos governos estaduais. Um exemplo concreto é a iniciativa do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), que formalizou a criação da Secretaria de Economia. A decisão fundamentou-se na fusão da Secretaria da Fazenda com a Secretaria de Planejamento, Administração e Orçamento.

Hoje as pastas estão presentes em três Estados. São eles: Brasília (DF), Espírito Santo (ES) e Goiás (GO). Em conversa com o site O Poder, o economista Orígenes Martins destacou que os locais podem sofrer falta de autonomia devido o autoritarismo e centralismo do governo federal.

Autoritarismo e falta de autonomia

Em sua avaliação, Martins mencionou que governo brasileiro é altamente centralista e autoritário no que diz respeito à determinação de regras. Ele observou que as medidas são muitas vezes implementadas sem um planejamento prévio e estruturado, o que pode dificultar a efetividade de secretarias estaduais de economia.

No âmbito federal, criticou a falta de um plano econômico claro por parte do governo e afirmou que a ausência de um planejamento antecipado e racional gera incerteza e insegurança, tornando difícil para as secretarias estaduais trabalharem de maneira eficaz.

“Isso seria muito bom, porque você teria um órgão para cuidar apenas do lado econômico de cada Estado. No entanto, hoje a gente precisa ter muito cuidado quando analisa esses aspectos, porque nós temos uma estrutura e um pensamento econômico que é completamente fora daquilo que seria o lógico, principalmente em termos econômicos”, criticou.

Discrepâncias

Martins apontou para contradições nas ações do governo federal, como a proposta de déficit zero enquanto são implementadas medidas que aumentam a receita por meio da criação de impostos. A criação de novos ministérios e geração de empregos com salários elevados, aparentemente em conflito com a ideia de redução de déficit está clara para ele.

Embora o Brasil tenha uma estrutura federativa no papel, na prática essa ideia foi perdida há muito tempo. A centralização de poder é predominante, o que poderia comprometer a eficácia das secretarias estaduais de economia. Por fim, Martins destacou a importância de uma abordagem mais racional na estrutura governamental, especialmente ao considerar a criação de secretarias estaduais de economia. A falta de racionalidade na estrutura pode impedir o bom funcionamento dessas secretarias.

“Fala em déficit zero, mas só se vê medidas no sentido de aumentar a receita através de criação de impostos. Fala em déficit zero, porém a gente só vê aí criação de novos ministérios, geração de novos empregos, preocupação em dar empregos com salários milionários. Não dá para se pensar de maneira racional nessa estrutura que nós vivemos. A criação de uma secretaria de fazenda estadual em cada unidade da federação seria realmente muito bom. Porém, infelizmente a ideia de federalismo no Brasil é uma coisa que está muito longe da realidade. É apenas a federação no sentido técnico ou jurídico no Brasil existe, porém na prática já foi para o espaço há muito tempo”, concluiu.

Secretaria de Economia governo federal df Ibaneis Rocha Orígenes Martins

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

08/02
14:52

FINANCIAMENTO PÚBLICO X PRIVADO

O deputado Adjuto Afonso (UB) comentou nesta quinta-feira, 08/02, durante o lançamento do programa de financiamento + Créditos Amazonas da AFEAM, que o governo tem facilitado muito para o microempreendedor do interior através do programa. Para o deputado, não foi surpresa o anúncio da agência ser a primeira do país em financiamento público para microempreendedores. Oriundo da calha do rio Purus, ele fala com propriedade.

01/02
11:45

VAI DE PDT

O vereador de Itacoatiara, Arnoud Lucas, que é pré-candidato à prefeitura daquele município, revelou ao site O Poder que aguardará o período da janela partidária (7 de março a 5 de abril) para sair do atual partido em que está filiado, o Partido Verde (PV), e mudar para o Partido Democrático Trabalhista (PDT). Ele afirmou que já recebeu o aval do presidente estadual da legenda no Amazonas, o ex-deputado estadual Luiz Castro, e acredita que terá no PDT-AM o suporte necessário para viabilizar o seu projeto de candidatura à prefeitura de Itacoatiara.

30/01
12:16

DISCORDÂNCIAS DE DESTERRO

Na 2ª sessão ordinária do TCE-AM em 30/01/2024, o conselheiro Érico Desterro expressou descontentamento com a mudança de postura do tribunal em relação aos pedidos de vista, lamentando a proibição de vistas para ausentes na sessão, embora tenha usado esse recurso. Apesar de concordar com a nova decisão, pediu sua aplicação uniforme. Surpreendido com a publicação de uma resolução sobre mudanças nas datas das câmaras, alegou falta de aprovação pelo pleno, solicitando revisão do procedimento. Apesar da derrota nesse tema, comprometeu-se a manter as sessões às segundas-feiras até a alteração no Regimento Interno.

29/01
12:18

ALERTA DE BOLSONARO

Em live neste domingo (28), o ex-presidente Jair Bolsonaro alertou sobre políticos que estariam considerando mudar para o PL visando vantagens nas eleições municipais, deixando claro que seu grupo político não os apoiará. Ele ressaltou a vigilância dos eleitores de direita, destacando que não serão facilmente enganados. Coronel Alfredo Menezes reforçou esse aviso, direcionando aos “espertinhos que se fingem de direita”. Ele enfatizou ainda mais a mensagem, acrescentando referência indireta ao prefeito de Manaus, David Almeida, chamando-o de “pintor melancia oportunista”.

29/01
11:18

REFERÊNCIA

Em live neste domingo (28), o ex-presidente Jair Bolsonaro se defendeu de acusações de operar um suposto sistema de inteligência paralelo. Ao esclarecer sua “inteligência paralela”, ele relevou sua comunicação direta com o Coronel Alfredo Menezes no Amazonas, especialmente em situações críticas, como os incêndios na Amazônia. “Quando falei sobre minha inteligência paralela, quem é essa inteligência paralela? Tem um problema, está pegando fogo lá no Amazonas. Eu ligo para o coronel Menezes, certo? Menezes, como está essa questão dos incêndios aí? Porque a imprensa não está divulgando. E o cara me fala.”, declarou.

Ver mais >>

Programas