AO VIVO
Executivo - 19 de janeiro de 2024
Foto: Reprodução

Autoritarismo do governo federal ameaça autonomia de secretarias de economia

Em conversa com o site O Poder, o economista Orígenes Martins destacou que os locais podem sofrer falta de autonomia devido o autoritarismo e centralismo do governo federal

Por: Leon Furtado
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

O cenário econômico em 2024 tem o potencial de provocar mudanças na administração dos governos estaduais. Um exemplo concreto é a iniciativa do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), que formalizou a criação da Secretaria de Economia. A decisão fundamentou-se na fusão da Secretaria da Fazenda com a Secretaria de Planejamento, Administração e Orçamento.

Hoje as pastas estão presentes em três Estados. São eles: Brasília (DF), Espírito Santo (ES) e Goiás (GO). Em conversa com o site O Poder, o economista Orígenes Martins destacou que os locais podem sofrer falta de autonomia devido o autoritarismo e centralismo do governo federal.

Autoritarismo e falta de autonomia

Em sua avaliação, Martins mencionou que governo brasileiro é altamente centralista e autoritário no que diz respeito à determinação de regras. Ele observou que as medidas são muitas vezes implementadas sem um planejamento prévio e estruturado, o que pode dificultar a efetividade de secretarias estaduais de economia.

No âmbito federal, criticou a falta de um plano econômico claro por parte do governo e afirmou que a ausência de um planejamento antecipado e racional gera incerteza e insegurança, tornando difícil para as secretarias estaduais trabalharem de maneira eficaz.

“Isso seria muito bom, porque você teria um órgão para cuidar apenas do lado econômico de cada Estado. No entanto, hoje a gente precisa ter muito cuidado quando analisa esses aspectos, porque nós temos uma estrutura e um pensamento econômico que é completamente fora daquilo que seria o lógico, principalmente em termos econômicos”, criticou.

Discrepâncias

Martins apontou para contradições nas ações do governo federal, como a proposta de déficit zero enquanto são implementadas medidas que aumentam a receita por meio da criação de impostos. A criação de novos ministérios e geração de empregos com salários elevados, aparentemente em conflito com a ideia de redução de déficit está clara para ele.

Embora o Brasil tenha uma estrutura federativa no papel, na prática essa ideia foi perdida há muito tempo. A centralização de poder é predominante, o que poderia comprometer a eficácia das secretarias estaduais de economia. Por fim, Martins destacou a importância de uma abordagem mais racional na estrutura governamental, especialmente ao considerar a criação de secretarias estaduais de economia. A falta de racionalidade na estrutura pode impedir o bom funcionamento dessas secretarias.

“Fala em déficit zero, mas só se vê medidas no sentido de aumentar a receita através de criação de impostos. Fala em déficit zero, porém a gente só vê aí criação de novos ministérios, geração de novos empregos, preocupação em dar empregos com salários milionários. Não dá para se pensar de maneira racional nessa estrutura que nós vivemos. A criação de uma secretaria de fazenda estadual em cada unidade da federação seria realmente muito bom. Porém, infelizmente a ideia de federalismo no Brasil é uma coisa que está muito longe da realidade. É apenas a federação no sentido técnico ou jurídico no Brasil existe, porém na prática já foi para o espaço há muito tempo”, concluiu.

Secretaria de Economia governo federal df Ibaneis Rocha Orígenes Martins

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

22/07
12:28

INVESTIMENTO MORADIAS

O governador Wilson Lima pagou cinco milhões e quinhentos mil reais para cento e setenta e oito famílias das comunidades Sharp e Manaus 2000, no Programa Amazonas Meu Lar, na última quinta-feira (18). O pagamento inclui bônus de sessenta mil reais, auxílio de seis mil e seiscentos reais e bolsa moradia de três mil e trezentos reais. A ação faz parte do Prosamin+, que já reassentou mais de mil e trezentas famílias e investiu cento e vinte e dois milhões de reais desde 2022. A próxima fase do programa, iniciada em 15 de julho de 2024, oferece subsídios para entrada em imóveis financiados com FGTS.

22/07
12:22

PROPOSTA DE CIDADE

Projeto de Lei nº 014/2024, do deputado Roberto Cidade (União Brasil), propõe criar as Comunidades Turísticas Sustentáveis (CTS) e o Selo Amazonense de Turismo Sustentável na Assembleia Legislativa do Amazonas. O objetivo é promover o turismo sustentável e apoiar as comunidades locais, oferecendo benefícios como linhas de crédito e capacitação técnica. O selo terá validade determinada pelo Executivo e precisará ser renovado periodicamente.

22/07
12:22

GASTO NO CAREIRO

A Prefeitura de Careiro da Várzea destinou quase R$ 250 mil para a reforma da Unidade Básica de Saúde Lucilene Batista do Vale, contratando a empresa P.R. Serviços de Reformas Prediais Ltda. O contrato foi assinado pelo prefeito Pedro Duarte Guedes em 8 de julho de 2024. A empresa tem capital social de R$ 10,5 mil e está localizada em Manaus, atuando na reforma predial. O contrato inclui a emissão da nota de empenho pela Secretaria Municipal de Finanças e a publicação dos documentos necessários no Diário Oficial e no Portal Nacional de Contratações Públicas (PNCP).

22/07
12:20

MULHERES NO PARLAMENTO

Beruri, no Amazonas, é uma das 45 cidades brasileiras com maioria feminina no parlamento municipal em 2020, sendo a única do estado com essa característica. Das 5,5 mil cidades do país, menos de 1% têm maioria feminina nas câmaras municipais. A Câmara de Beruri conta com 9 parlamentares, dos quais 5 são mulheres. Apesar das mulheres serem maioria no eleitorado e em cargos de mesários, a representatividade feminina na política é limitada.

22/07
12:19

APAGÃO VIRTUAL

Nesta sexta-feira (19), um apagão cibernético global, causado por um problema com a empresa de segurança cibernética CrowdStrike, afetou empresas e serviços em vários países, incluindo o Brasil. No país, os problemas começaram a ser reportados às 8h, impactando serviços da Microsoft e sistemas de bancos como Bradesco, Banco do Brasil, Neon, Next e Banco Pan. A Azul Linhas Aéreas também informou possíveis atrasos em voos devido a falhas no sistema de reservas.

Ver mais >>

Programas