AO VIVO

Concita Sompré, líder indígena, aborda o ‘sofrimento e o descaso’ dos povos indígenas no Brasil

Entrevista revela questões de violência, desmatamento e a luta dos indígenas por seus direitos

Por: Redação
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

Em uma entrevista realizada durante os Diálogos Amazônicos, evento que contribuiu com propostas para a Cúpula da Amazônia em Belém, a líder indígena Concita Sompré, professora e presidente da Federação dos Povos Indígenas do Pará (Fepipa), expôs os desafios e o sofrimento enfrentados pelos povos indígenas no Brasil. A conversa, conduzida pelo jornalista e apresentador Álvaro Corado, revelou questões que vão além da violência física, incluindo o descaso por parte dos não indígenas, o desmatamento e a poluição dos rios, além da falta de visibilidade na mídia para a realidade dos povos indígenas, incluindo os assassinatos de crianças indígenas.

O descaso ambiental e a violência

Concita Sompré destacou que os povos indígenas enfrentam não apenas a violência física, mas também o descaso por parte daqueles que não são indígenas. Ela ressaltou que o desmatamento e a poluição dos rios, causados por outros grupos, impactam diretamente o futuro das comunidades indígenas. Além disso, ela enfatizou que a mídia muitas vezes não mostra a realidade dessas comunidades, deixando de reportar assassinatos de crianças indígenas e outras formas de violência.

Fortalecimento da comunicação Indígena

Para combater essa falta de visibilidade, Concita explicou que a Fepipa tem buscado parcerias para fortalecer a rede de comunicação, formando comunicadores indígenas e gerando visibilidade para as questões enfrentadas pelos povos indígenas. No entanto, ela reconhece que o alcance ainda é limitado e atinge principalmente simpatizantes da causa.

“A Fepipa, a qual presido, tem conseguido poucos, mas tem parcerias para fortalecer e formar comunicadores indígenas”, explicou.

Violência contra mulheres indígenas e o movimento LGBQIA+

A líder indígena também abordou os abusos sofridos por mulheres indígenas tradicionais e o surgimento do movimento LGBQIA+ nas comunidades indígenas, que, apesar de recente, enfrenta violência e mortes. Ela destacou que esses fatores contribuíram para o aumento da discriminação contra os povos originários.

“Tudo isso é um pacote, para fortalecer e dizer que a violência é bem-vinda”, afirmou.

Dominação e apropriação

Concita definiu a questão da dominação e apropriação dos povos indígenas como a intenção do Estado em relação a eles. Ela acusou o governo de desalojar os indígenas de suas terras para atender a interesses próprios, mesmo contrariando a opinião indígena em relação a projetos em seus territórios.

Desafios no Sistema de Saúde

A líder indígena também abordou os desafios enfrentados no sistema de saúde indígena, incluindo a falta de respeito pelos agentes de saúde em relação aos pajés, que são considerados os médicos de fato das comunidades. Ela enfatizou que o sistema de saúde precisa se preparar para trabalhar em conjunto com a medicina tradicional indígena. Além disso, ela destacou a falta de medicamentos para doenças de origem urbana, deixando os povos indígenas sem os remédios necessários.

“O pajé é o médico, a medicina entra onde o pajé não consegue alcançar. As duas podem andar juntas, mas o sistema tem que preparar para estar lá”, desabafou.

Um exemplo destacado por Concita Sompré é a situação dos Yanomami, que ao longo dos anos têm sofrido devido à negligência e falta de intervenção em situações críticas, como a que ocorreu recentemente no estado de Roraima.

“O que aconteceu com os Yanomami não foi algo que ocorreu da noite para o dia; não foi durante a transição de um governo para outro. Isso já estava acontecendo, e só veio à tona quando chamou a atenção da mídia naquele momento”, declarou ela.

ONGs e o papel do Governo

Concita abordou o papel das ONGs e a falta de suporte por parte do governo em manter a seriedade dessas organizações. Ela pediu um planejamento do governo para que a Secretaria de Saúde Indígena (SESAI) possa assumir a responsabilidade, destacando que a SESAI ainda não está totalmente preparada para essa transição.

Ela (Sesai) só precisa de terceiros porque ainda não está preparada totalmente para estar lá”, pontuou.

Marco Temporal e a luta pelos direitos indígenas

Por fim, a líder indígena falou sobre a política de demarcação de terras e o chamado Marco Temporal, apontando contradições na Lei que têm violado os direitos indígenas. Ela enfatizou que limitar os direitos indígenas a partir de 1988 nega a longa luta histórica dos povos originários.

“Dizer que nós só temos direito de 88 para cá é negar toda uma luta histórica dos povos originários”, comparou.

A entrevista de Concita Sompré revelou as complexidades dos desafios enfrentados pelos povos indígenas no Brasil e destacou a importância de dar visibilidade a essas questões para promover a conscientização e a ação em prol dos direitos indígenas.

Assista ao programa na íntegra:

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

25/03
11:15

AFASTAMENTO DE SECRETÁRIO

O vereador Capitão Carpê utilizou a tribuna nesta segunda-feira (25) para solicitar ao prefeito David Almeida o afastamento do Secretário de Comunicação do município, Israel Conte. Carpê se baseia no fato de que o motorista do portal O Abutre confirmou à polícia o recebimento de dinheiro em espécie na prefeitura durante seu depoimento.

20/03
20:29

RAIFF NO UNIÃO

O vereador Raiff Matos (Democracia Cristã) deverá mudar de partido nos próximos dias. O parlamentar, que integra a base conservadora da Câmara Municipal de Manaus (CMM), está prestes a se juntar às fileiras do União Brasil. A confirmação foi feita na manhã desta terça-feira (19) à reportagem do site O Poder.com pelo vereador Diego Afonso (UB), líder da bancada na Câmara Municipal.

20/03
11:45

FAUSTO JR. NA CMM

Na manhã desta terça-feira (19), o deputado federal licenciado e atual secretário estadual de Desenvolvimento Urbano e Metropolitano, Fausto Júnior, esteve visitando a Câmara Municipal de Manaus, onde cumprimentou os vereadores. Após saudar os parlamentares, Fausto se reuniu a portas fechadas com o vereador Diego Afonso (UB). Questionado pela reportagem do site O Poder.com sobre a motivação da visita à câmara, o deputado afirmou que se tratava apenas de uma visita de “cortesia”.

13/03
11:21

BELÃO NO COMANDO

Cotado para concorrer à prefeitura de Fonte Boa nas Eleições de 2024, o ex-deputado estadual Belarmino Lins, mais conhecido como ‘Belão’, assumiu o comando do diretório do partido União Brasil naquele município. Belão, após 32 anos de vida pública e oito mandatos consecutivos na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), decidiu abandonar a política, mas agora almeja a prefeitura de Fonte Boa.

05/03
16:31

REPRESENTANDO A DIREITA

Depois que o prefeito David Almeida (Avante) afirmou que continuaria em seu partido e não ingressaria mais no Partido Liberal (PL), apesar das tentativas com os caciques regional e nacional da sigla, Alfredo Nascimento e Valdemar da Costa Neto, o pré-candidato do partido em Manaus, o deputado federal Capitão Alberto Neto, intensificou sua pré-campanha nas redes sociais. Um card com a imagem de Alberto Neto e do ex-presidente Jair Bolsonaro, acompanhado da mensagem “Estou preparado para Manaus”, passou a circular.

Ver mais >>

Programas