AO VIVO
Legislativo - 29 de janeiro de 2022
Foto:

Renovação na ALEAM pode ser de 50%, diz cientista político

Em entrevista ao site O PODER, o cientista político Elso Ribeiro revelou nomes de alguns deputados que podem ser reeleitos para a Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM), em 2022

Por: Redação
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

Manaus | AM

Em outubro deste ano, os amazonenses irão às urnas para a escolha de deputados federais e estaduais, além de um senador da República, governador do Estado e presidente da República. Na Assembléia Legislativa do Amazonas (ALEAM), 24 cadeiras serão disputadas tanto por aqueles que almejam chegar no âmbito político, quanto por aqueles que buscam se manter em uma legislatura.

De acordo com o cientista político Elso Ribeiro, entrevistado pelo site O PODER, em regra, quase metade da ALEAM deve ser renovada. Ele acredita que, no máximo, 14 deputados da atual legislatura devem permanecer por mais 4 anos, a contar de janeiro de 2023.

“Não quero brincar de bola de cristal, mas têm deputados que são extremamente atuantes no Parlamento e esquecem das bases. Outros são tímidos no Parlamento, quase não aparecem, são do baixo clero, mas estão ali o tempo todo junto às suas bases, o que deve ser levado em conta. Na última eleição (2018), metade dos eleitos eram de primeiro mandato”, ressalta ele.

Ainda conforme Elso, dos ‘recém-chegados’ ele destaca o atual presidente da ALEAM, Roberto Cidade (PV), que “chegou como diz o caboclo ‘de com força'”. “Vejo ele com fortes possibilidades de reeleição”, aposta ele. Outro nome lembrado pelo cientista político é o do deputado João Luiz (Republicanos), que tem o apoio do eleitorado evangélico.

O presidente da ALEAM, deputado estadual Roberto Cidade

Ele acredita, também, que Saullo Vianna (PTB), “está com um bom espaço”. Já Wilker Barreto (sem partido), que foi presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM) e bem votado em 2018, pode enfrentar dificuldades dependendo do partido ao que ele se filiar. “A princípio, ele vai ‘colar’ com o Amazonino (Mendes), então não sabemos ainda qual será o seu partido”.

Terezinha Ruiz (PSDB), que também foi vereadora, teve uma eleição muito positiva e tem um trabalho junto aos professores. Para ele, o Álvaro Campelo tem “feito um trabalho também atuante”. Os deputados Delegado Péricles e Joana D’arc estão na dependência de quem eles irão apoiar para o cargo majoritário, ou seja, para Governo do Amazonas.

‘Antiguidade’

Sobre os deputados mais antigos, Elso Ribeiro acredita que nomes como os de Serafim Corrêa (PSB), Belarmino Lins (Progressistas) e Sinésio Campos (PT) têm possibilidades reais de reeleição. “Diria que eles têm um eleitorado cativo. São deputados com larga experiência, sempre ouvidos por quem é da imprensa, enfim, acho que eles têm fortes possibilidades de voltar”,  diz ele.

O deputado estadual Belarmino Lins

Elso lembra, ainda, da atual secretária estadual Assistência Social, Alessandra Campêlo (MDB), que está em um partido comandado pelo senador Eduardo Braga (MDB), possível concorrente do atual governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC). “Ela tem um trabalho na secretária e a vejo com possibilidades (de reeleição)”.

Sobre Cabo Maciel (PL), Elson acredita que ele possui uma certa força junto à categoria dos policiais e “é alguém que trabalha, que mostra alguns resultados”. Já Abdala Fraxe (Podemos) tem, à princípio, a simpatia do prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), que escolheu a esposa do deputado para comandar a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). “Isso gera um trabalho de máquina”, completa.

Alessandra Campêlo

A atual secretária estadual de Assistência Social e deputada estadual licenciada, Alessandra Campêlo

Dermilson Chagas é outra aposta do cientista político. “É um opositor duro contra o governador. Tal qual o Wilker, tem que ver qual o partido que ele se filiará, porque a princípio estão sem partidos”. Conforme ele, a Dra. Mayara (Progressistas) conseguirá se reeleger pelo município de Coari, onde seu primo foi eleito prefeito, e o Ricardo Nicolau (Solidariedade) deve concorrer ao Governo do Amazonas.

“Não arrisco a dizer este ou aquele sai, porque não estou acompanhando o trabalho de bastidor desses deputados, se eles estão com as bases ou não, mas haverá certamente uma renovação de 50% da ALEAM”, conclui Elso.

 

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

11/07
12:33

REUNIÕES SECRETAS

Executivos da Âmbar Energia, ligada ao Grupo J&F dos irmãos Joesley e Wesley Batista, realizaram secretamente 17 reuniões com autoridades do Ministério de Minas e Energia entre junho de 2023 e maio de 2024, sem registro oficial. Essas reuniões precederam a assinatura de uma medida provisória pelo presidente Lula em 13 de junho, beneficiando um negócio da Âmbar na energia elétrica, cujo custo será repassado aos consumidores por até 15 anos. O Ministério e a Âmbar negam que as reuniões tenham discutido a medida, mas não divulgaram os temas tratados. Críticas à falta de transparência foram levantadas, especialmente pela deputada Adriana Ventura (Novo-SP).

11/07
12:32

FRACA ARTICULAÇÃO

A aprovação da reforma tributária na Câmara revelou a fraca articulação dos senadores Eduardo Braga e Omar Aziz, que deixaram de incluir a maioria das propostas do Amazonas para a Zona Franca de Manaus (ZFM). O texto foi aprovado por 336 votos a favor e 142 contra. Foram incluídas apenas contribuições para financiar a UEA e fundos de desenvolvimento, além de crédito presumido para indústrias. Alterações cruciais, como a inclusão do IPI e crédito presumido para operações internas, foram rejeitadas. Os parlamentares precisarão trabalhar mais eficientemente no Senado.

11/07
12:31

SILAS CONTRA

A Câmara dos Deputados aprovou o primeiro projeto de regulamentação da reforma tributária com 336 votos a favor, 142 contra e duas abstenções. A maioria dos deputados do Amazonas votou contra devido aos impactos negativos na Zona Franca de Manaus (ZFM), com exceção de Silas Câmara (Republicanos-AM), que apoiou o projeto. Pauderney Avelino (União-AM) criticou a redução do crédito presumido e a falta de alíquota zero para operações internas, alertando sobre o aumento dos preços e a diminuição da competitividade no Amazonas. O próximo desafio será no Senado Federal.

11/07
12:30

DITADURA DA NICARÁGUA

A ditadura de Ortega na Nicarágua fechou a Radio María e mais 12 ONGs, totalizando 3,6 mil entidades fechadas em seis anos. A ministra do Interior, Maria Amelia Coronel, justificou o fechamento da rádio pela falta de demonstrações financeiras de 2019 a 2023. Ortega continua a perseguir a Igreja Católica, expulsando e detendo padres, e cancelando a cidadania de líderes religiosos, forçando-os ao exílio.

11/07
12:29

DEFESA DA ZFM

Wilson Lima, governador do Amazonas, promete lutar incansavelmente pela competitividade da Zona Franca de Manaus (ZFM) após a votação na Câmara dos Deputados que prejudicou o estado. Ele criticou a exclusão de emendas cruciais para o modelo econômico, enquanto duas sugestões foram aceitas, incluindo contribuições para financiar a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e fundos de desenvolvimento, além de créditos presumidos para indústrias. Alterações solicitadas, como a inclusão do IPI para produtos aprovados pela Suframa e crédito presumido para operações internas, foram rejeitadas.

Ver mais >>

Programas