AO VIVO
Legislativo - 24 de agosto de 2021
Foto:

CPI: Sócio da Belcher nega ajuda de Barros para negociar vacinas

Brasília-DF- Em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia do Senado, nesta terça-feira (24), o sócio da farmacêutica Belcher, Emanuel Cartori, disse que não teve ajuda do deputado federal Ricardo Barros (PP-PR) para ter acesso a autoridades do Ministério da Saúde para comercializar a vacina chinesa Convidencia, desenvolvida pela farmacêutica CanSino Biologics contra […]

Por: Redação
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

Brasília-DF- Em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia do Senado, nesta terça-feira (24), o sócio da farmacêutica Belcher, Emanuel Cartori, disse que não teve ajuda do deputado federal Ricardo Barros (PP-PR) para ter acesso a autoridades do Ministério da Saúde para comercializar a vacina chinesa Convidencia, desenvolvida pela farmacêutica CanSino Biologics contra a covid-19.

“Ele [Ricardo Barros] não me ajudou em nada sobre a vacina, o Brasil todo soube da nossa vacina; para vacina, a gente não precisa nenhuma interferência política, ainda mais se tratando de uma dose”, afirmou o empresário.

A relação da Belcher com o deputado, que é líder do governo na Câmara dos Deputados,  foi um dos principais pontos explorados pelos senadores na comissão hoje. Ricardo Barros tem reduto eleitoral em Maringá, mesma cidade onde está sediada a farmacêutica. A CPI investiga o parlamentar por suposto envolvimento em indícios de irregularidades que resultaram no cancelamento do contrato para aquisição da vacina indiana Covaxin pelo Ministério da Saúde.

Sobre Ricardo Barros, o depoente disse que, por serem da mesma cidade, mantém apenas conversas periódicas com o parlamentar. Catori garantiu que, mesmo com a quebra de sigilo telemático solicitada pela CPI, os senadores não encontrarão nenhuma conversa dele com o parlamentar com tratativas sobre a vacina. O empresário também rechaçou a interpretação da cúpula da CPI de que Barros atuou como “facilitador político” da Belcher junto ao governo federal.

Questionado pelo vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), a respeito de sua relação com Flávio Pansieri, advogado de Barros, o sócio da Belcher disse que Pansieri foi contratado pela empresa para atuar na “parte regulatória”. Já a relação do advogado com Barros foi justificada como “mera coincidência” pelo depoente. Pansieri participou de reuniões com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da negociação de uma parceria entre a empresa farmacêutica e o Instituto Vital Brazil.

Outras reuniões

Emanuel Cartori confirmou aos senadores que, no dia 15 de abril, esteve com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e o deputado federal Ricardo Barros. Esse encontro, segundo o empresário, foi uma “audiência coletiva” no ministério, por iniciativa da Frente Parlamentar da Indústria Pública de Medicamentos, coordenada por Barros. Segundo Cartori, também participaram mais empresas, além da Belcher, e não houve menção à vacina.

À CPI, Emanuel Cartori também relatou as tratativas com o grupo de empresários liderado por Luciano Hang, Carlos Wizard e Alan Eccel para a compra de 9 milhões de doses da vacina chinesa CoronaVac. Segundo ele, as doses seriam destinadas exclusivamente para doação, mas a negociação não avançou por causa do acordo de exclusividade entre a Sinovac e o Instituto Butantan.

CanSino

Especificamente sobre audiência para tratar da vacina da CanSino, o empresário disse que a primeira comunicação formal da Belcher junto ao Ministério da Saúde com esse objetivo se deu de forma direta, a partir de um e-mail enviado à pasta em 12 de maio de 2021. Além de informações gerais sobre a vacina, o texto apresentava as credenciais formais da Belcher com poderes reais para exercer a regular representação da Cansino.

A partir desse e-mail e após a análise dessas documentações, o depoente explicou que a Belcher foi recebida em uma reunião presencial no Ministério da Saúde em 19 de maio de 2021, inicialmente com a equipe técnica do departamento de imunização. “Neste 19 de maio, a representação da Cansino, da Belcher, já era pública e notória e destaque na imprensa, pois, no dia anterior, no dia 18 de maio, apresentamos à Anvisa o pedido de autorização para o uso emergencial da vacina Convidecia”, ressaltou.

A intenção da Belcher era negociar a venda de 60 milhões de doses do imunizante chinês. Mas em 10 de junho, alegando razões de compliance, ou seja, de acordo com a lei e regulamentos, a CanSino revogou a relação com a empresa de Catori antes mesmo da primeira rodada comercial com o ministério. Emanuel Catori ficou em silêncio todas as vezes em que foi perguntado sobre o lucro que a empresa Belcher teria com a venda da vacina da CanSino.

Documentos sigilosos

No início da reunião desta terça-feira, o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), informou que o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que a comissão tome providências em relação ao vazamento de documentos sigilosos. Diante do pedido, Aziz afirmou que seus integrantes deverão assinar pedidos específicos de acesso aos documentos sigilosos. “ Se vazar algum documento, estará lá a assinatura do senador e ele será responsabilizado. Não está cerceado o acesso aos documentos, mas nós temos que tomar algumas providências”, disse.

O senador também disse que a CPI recorreu da decisão do ministro Edson Fachin que negou habeas corpus à comissão no inquérito da Polícia Federal sobre a suposta divulgação de documentos sigilosos no caso da compra da vacina indiana Covaxin.

 

*Agência Brasil

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

25/03
11:15

AFASTAMENTO DE SECRETÁRIO

O vereador Capitão Carpê utilizou a tribuna nesta segunda-feira (25) para solicitar ao prefeito David Almeida o afastamento do Secretário de Comunicação do município, Israel Conte. Carpê se baseia no fato de que o motorista do portal O Abutre confirmou à polícia o recebimento de dinheiro em espécie na prefeitura durante seu depoimento.

20/03
20:29

RAIFF NO UNIÃO

O vereador Raiff Matos (Democracia Cristã) deverá mudar de partido nos próximos dias. O parlamentar, que integra a base conservadora da Câmara Municipal de Manaus (CMM), está prestes a se juntar às fileiras do União Brasil. A confirmação foi feita na manhã desta terça-feira (19) à reportagem do site O Poder.com pelo vereador Diego Afonso (UB), líder da bancada na Câmara Municipal.

20/03
11:45

FAUSTO JR. NA CMM

Na manhã desta terça-feira (19), o deputado federal licenciado e atual secretário estadual de Desenvolvimento Urbano e Metropolitano, Fausto Júnior, esteve visitando a Câmara Municipal de Manaus, onde cumprimentou os vereadores. Após saudar os parlamentares, Fausto se reuniu a portas fechadas com o vereador Diego Afonso (UB). Questionado pela reportagem do site O Poder.com sobre a motivação da visita à câmara, o deputado afirmou que se tratava apenas de uma visita de “cortesia”.

13/03
11:21

BELÃO NO COMANDO

Cotado para concorrer à prefeitura de Fonte Boa nas Eleições de 2024, o ex-deputado estadual Belarmino Lins, mais conhecido como ‘Belão’, assumiu o comando do diretório do partido União Brasil naquele município. Belão, após 32 anos de vida pública e oito mandatos consecutivos na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), decidiu abandonar a política, mas agora almeja a prefeitura de Fonte Boa.

05/03
16:31

REPRESENTANDO A DIREITA

Depois que o prefeito David Almeida (Avante) afirmou que continuaria em seu partido e não ingressaria mais no Partido Liberal (PL), apesar das tentativas com os caciques regional e nacional da sigla, Alfredo Nascimento e Valdemar da Costa Neto, o pré-candidato do partido em Manaus, o deputado federal Capitão Alberto Neto, intensificou sua pré-campanha nas redes sociais. Um card com a imagem de Alberto Neto e do ex-presidente Jair Bolsonaro, acompanhado da mensagem “Estou preparado para Manaus”, passou a circular.

Ver mais >>

Programas