AO VIVO
Executivo - 16 de fevereiro de 2024
Foto: Reprodução/Internet

Viagem de David Almeida com fornecedor da prefeitura pode configurar “desvio de conduta grave”

A recente viagem do prefeito de Manaus, David Almeida, ao Caribe em um jatinho fretado durante o feriado prolongado de carnaval gerou intensa controvérsia e levantou uma série de preocupações éticas e legais

Por: Redação
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

A recente viagem do prefeito de Manaus, David Almeida, ao Caribe em um jatinho fretado durante o feriado prolongado de carnaval gerou intensa controvérsia e levantou uma série de preocupações éticas e legais. Acompanhado por um grupo que incluía empresário, secretário, sobrinho e noiva, o prefeito embarcou durante o feriado prolongado de carnaval em uma aeronave fretada pelo empresário que tem contratos comerciais com a Prefeitura de Manaus. O fato foi revelado pela coluna Grande Angular, do site Metrópoles, nesta sexta-feira (16). Uma grande repercussão foi iniciada e diversos políticos se manifestaram sobre o caso.

O vereador Rodrigo Guedes foi enfático ao apontar que a situação não se limita apenas a questões morais, mas também levanta preocupações legais significativas. Ele ressaltou que o empresário que financiou a viagem possui contratos com a prefeitura, o que pode configurar um desvio de conduta grave. Em suas palavras: “Haja vista que o fornecedor, ele recebe dinheiro público, ele recebe dinheiro da prefeitura de Manaus, dinheiro da população, então ele está prestando ali um favor ao prefeito, que também se transforma em dinheiro. A partir do momento que o prefeito tem uma viagem custeada por um fornecedor da prefeitura de Manaus, ele está sendo favorecido, ele está sendo agraciado por alguém que recebe dinheiro da população. Então tem um grave desvio, não só moral, mas legal também.”

Sem prefeito

Além disso, Guedes apontou para uma questão adicional de relevância, referente à impossibilidade do vice-prefeito ter assumido o cargo durante a ausência do prefeito. Ele explicou: “Toda vez que o prefeito viaja, mas não passa o cargo, o vice-prefeito, que é o titular imediato, sequer pode fazer uma agenda pública para não expor a ausência do prefeito. E aí Manaus fica oficialmente e literalmente sem prefeito.”

O parlamentar afirmou que na próxima segunda-feira (19) irá apresentar requerimento na Câmara de Vereadores com a finalidade de convocar o prefeito e questionar diversos pontos. “Na segunda-feira já estarei apresentando requerimento de convocação do prefeito e requerimento de informações também. Então na segunda-feira a gente já vai colocar isso pra votar.”

O vereador Marcelo Serafim expressou sua preocupação, destacando que a relação entre o chefe do executivo e um empresário que presta serviços para a prefeitura levanta questões que fogem aos padrões republicanos esperados pela sociedade. Ele afirmou: “Espero que a base vote favorável como eu votarei, pois entendo que esse tipo de relação, se efetivamente for comprovada, foge totalmente aos padrões republicanos que a sociedade espera do prefeito de Manaus.”

Denúncia à PF

O deputado federal Amom Mandel também se pronunciou, destacando a gravidade da situação e afirmando sua intenção de levar o caso à Polícia Federal. “O prefeito David Almeida viajou para a Ilha Caribenha de jatinho de luxo pago por empresário com contrato público em Manaus. Isso é crime, isso tem que ser investigado. É um absurdo. Nós vamos denunciar isso também e eu vou levar isso à Polícia Federal.”, afirmou.

Questionamentos

O advogado e analista político Anderson Fonseca enfatizou que, embora não haja uma exigência legal específica para notificar a Câmara de Vereadores sobre viagens internacionais de curta duração, a falta de transparência e explicação sobre esses pontos pode indicar possíveis irregularidades éticas.

“Apesar de não ter diretamente, quem sabe, infringido uma norma legal, mas uma norma ética de postura do nosso município, na verdade da República de uma maneira geral, pode ter sido violado, tendo em vista essa aproximação muito grande que acabou se demonstrando aí entre a figura do prefeito, que em última análise é o ordenador de despesas, e um dos seus prestadores, um daqueles que são contratados para prestar serviços no estado. E com isso, eventualmente pode trazer aí alguma espécie de dúvida ou questionamentos acerca de tratamentos que podem ser dados a ele em licitações, ou mesmo em outras circunstâncias perante a prefeitura.”, comentou.

“Se eventualmente isso daí vier a incidir em alguma espécie de tratamento diferenciado de alguma maneira e puder ser indicado que houve alguma espécie de favorecimento, aí sim ele pode ter que responder por esses atos.”, acrescentou o advogado.

Custo da viagem

O custo estimado da viagem é de pelo menos R$ 224 mil reais. Esse valor é calculado com base no preço da hora de voo do tipo de aeronave utilizada, que é de R$ 32 mil reais, considerando o tempo total de viagem de ida e volta entre Manaus e Sint Maarten, que é de 3 horas e 30 minutos.

Nota da prefeitura

Nota da prefeitura de Manaus diz que a viagem do prefeito David Almeida ao Caribe não foi planejada e ocorreu devido a assentos vagos no jato fretado pelo empresário Roberto de Souza Lopes. Embora o empresário tenha tido contratos anteriores com a prefeitura, durante a gestão atual, ele possui apenas um contrato no valor de R$ 20 mil por ano. Ainda segundo a nota, os dois se conhecem “há alguns anos”, antes mesmo de David se tornar prefeito.

“O prefeito de Manaus, David Almeida, realizou uma viagem não programada, juntamente a outras pessoas, atendendo a convite do empresário Roberto de Souza Lopes, que o conhece há alguns anos, antes mesmo de sua gestão no município, e que estaria com assentos vagos na aeronave paga pelo próprio [Roberto]. O empresário, que já teve contratos com a Prefeitura de Manaus em gestão anteriores, da ordem de R$ 3,5 milhões, possui, na gestão do prefeito David, apenas um, da ordem de R$ 20 mil por ano.”

Veja a matéria anterior:

David vai de jatinho ao Caribe com noiva e empresário contratado pela prefeitura, diz site

 

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

11/07
12:33

REUNIÕES SECRETAS

Executivos da Âmbar Energia, ligada ao Grupo J&F dos irmãos Joesley e Wesley Batista, realizaram secretamente 17 reuniões com autoridades do Ministério de Minas e Energia entre junho de 2023 e maio de 2024, sem registro oficial. Essas reuniões precederam a assinatura de uma medida provisória pelo presidente Lula em 13 de junho, beneficiando um negócio da Âmbar na energia elétrica, cujo custo será repassado aos consumidores por até 15 anos. O Ministério e a Âmbar negam que as reuniões tenham discutido a medida, mas não divulgaram os temas tratados. Críticas à falta de transparência foram levantadas, especialmente pela deputada Adriana Ventura (Novo-SP).

11/07
12:32

FRACA ARTICULAÇÃO

A aprovação da reforma tributária na Câmara revelou a fraca articulação dos senadores Eduardo Braga e Omar Aziz, que deixaram de incluir a maioria das propostas do Amazonas para a Zona Franca de Manaus (ZFM). O texto foi aprovado por 336 votos a favor e 142 contra. Foram incluídas apenas contribuições para financiar a UEA e fundos de desenvolvimento, além de crédito presumido para indústrias. Alterações cruciais, como a inclusão do IPI e crédito presumido para operações internas, foram rejeitadas. Os parlamentares precisarão trabalhar mais eficientemente no Senado.

11/07
12:31

SILAS CONTRA

A Câmara dos Deputados aprovou o primeiro projeto de regulamentação da reforma tributária com 336 votos a favor, 142 contra e duas abstenções. A maioria dos deputados do Amazonas votou contra devido aos impactos negativos na Zona Franca de Manaus (ZFM), com exceção de Silas Câmara (Republicanos-AM), que apoiou o projeto. Pauderney Avelino (União-AM) criticou a redução do crédito presumido e a falta de alíquota zero para operações internas, alertando sobre o aumento dos preços e a diminuição da competitividade no Amazonas. O próximo desafio será no Senado Federal.

11/07
12:30

DITADURA DA NICARÁGUA

A ditadura de Ortega na Nicarágua fechou a Radio María e mais 12 ONGs, totalizando 3,6 mil entidades fechadas em seis anos. A ministra do Interior, Maria Amelia Coronel, justificou o fechamento da rádio pela falta de demonstrações financeiras de 2019 a 2023. Ortega continua a perseguir a Igreja Católica, expulsando e detendo padres, e cancelando a cidadania de líderes religiosos, forçando-os ao exílio.

11/07
12:29

DEFESA DA ZFM

Wilson Lima, governador do Amazonas, promete lutar incansavelmente pela competitividade da Zona Franca de Manaus (ZFM) após a votação na Câmara dos Deputados que prejudicou o estado. Ele criticou a exclusão de emendas cruciais para o modelo econômico, enquanto duas sugestões foram aceitas, incluindo contribuições para financiar a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e fundos de desenvolvimento, além de créditos presumidos para indústrias. Alterações solicitadas, como a inclusão do IPI para produtos aprovados pela Suframa e crédito presumido para operações internas, foram rejeitadas.

Ver mais >>

Programas