AO VIVO
Executivo - 16 de janeiro de 2024
Foto: Reprodução

David Almeida deve cobrar favores de Alfredo Nascimento para intervir em chapa ‘puro sangue’ do PL?

Neste fim de semana houve repercussão sobre a possibilidade de o prefeito David Almeida (Avante) cobrar Alfredo Nascimento (PL) por favores passados e até a vinda de Nascimento como candidato da sigla de Jair Bolsonaro

Por: Leon Furtado
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

Nos bastidores da política, o cenário está prestes a se transformar em um verdadeiro campo de batalha, com intrigas e alianças dominando as estratégias de figuras-chave. Neste fim de semana houve repercussão sobre a possibilidade de o prefeito David Almeida (Avante) cobrar Alfredo Nascimento (PL) por favores passados e até a vinda de Nascimento como candidato da sigla de Jair Bolsonaro. O cientista político Afrânio Soares e o analista Anderson Fonseca, em conversa com o site O Poder, ‘jogaram luz’ sobre os interesses e rivalidades que moldarão as próximas movimentações nos corredores do poder na capital amazonense.

A cobiça por uma cadeira na Câmara Federal torna-se a peça central do xadrez político de Alfredo Nascimento, na avaliação de Soares.  Ele não acredita que o político tenha interesses como chefe do poder executivo municipal. Como suplente do Capitão Alberto Neto (PL), Nascimento vislumbra sua chance de ascensão, especialmente se a chapa “puro sangue” entre Neto e Coronel Alfredo Menezes se concretizar.

“O interesse maior de Alfredo é assumir uma cadeira na Câmara Federal. No caso, ele é suplente do Capitão Alberto Neto, que é do PL, mesmo partido, e caso o Capitão Alberto venha a ser vice-prefeito, no plano original que se comenta, é que ele seria vice na chapa de David Almeida. Depois de recentes brigas e reconciliações com o Coronel Menezes, se falou nessa chapa puro sangue. Se de certa forma ela for bem sucedida, Alfredo vai para a câmara federal. Então, não atrapalha o plano original do Alfredo. Imagino que para David Almeida perder o apoio do PL é bastante significativo. O Alfredo não quer assumir como suplente. Se Alberto Neto for bem sucedido, ele vira deputado federal”, avaliou.

Fonseca mencionou que é prematuro afirmar se há risco ou ameaça para a chapa “puro sangue” por parte de um possível diálogo de Almeida com Nascimento. A ressalva se baseou no recente retorno do Coronel Menezes ao PL, que adicionou uma complexidade adicional às dinâmicas políticas locais.

“Neste momento, é prematuro nós afirmarmos se existe um risco ou apresentarmos qualquer tipo de ameaça a essa chapa ‘puro sangue’, tendo em vista o fato de que Coronel Menezes acabou de ser readmitido no PL. Nós temos uma situação bastante dicotômica. Temos o Capitão Alberto Neto, que tem um mandato em exercício, é muito bem cotado, com grandes chances com essa aliança que pode ser feita com o Coronel Menezes para uma chapa ‘puro sangue’ a disputar a Prefeitura de Manaus, isso sem colocarmos na balança que eventualmente, Alfredo Nascimento descartará essa situação para se aproximar de David Almeida. Neste momento, parece pouco provável que, embora tenha se aproximado, no que diz respeito à conjuntura política, existem outros elementos que passam por uma situação de cunho nacional e são um pouco mais pesados”, considerou.

Sem Nascimento, Almeida deve buscar apoio do ‘governo federal’?

Para Soares, Almeida deve buscar apoio através dos senadores Omar Aziz e Eduardo Braga. No entanto, surge uma preocupação devido ao histórico de David com o PL, sem claras indicações de como essa tentativa de composição seria recebida. O tom é de cautela, expressando a ideia de que o desfecho permanece incerto. O exemplo citado sobre a composição de Eduardo Braga com Marcelo Ramos ilustra a possibilidade de coalizões políticas.

“Para David Almeida, seria mais fácil buscar esse apoio por meio dos senadores Omar Aziz e Eduardo Braga. O único problema é que David já flertou bastante com o PL e não sei como estaria vista essa tentativa de composição. Mas tudo é possível. A composição de Eduardo Braga com Marcelo Ramos é um exemplo. Temos que esperar um pouco para ver como isso vai se desenrolar. Mas o canal no governo federal é Aziz e Eduardo”, avaliou.

Fonseca discorda da possibilidade.

“[…] se isso vai resultar em uma aliança com petistas para eventualmente compor uma chapa para a eleição, eu acredito que não, a menos que a conjuntura realmente se modifique de maneira mais densa, permitindo-lhe fazer o contraponto a uma chapa “puro sangue” que é totalmente voltada à direita. Além disso, se isso vai realmente se concretizar, se vai ter sucesso de alguma forma, também é uma indagação muito grande que se faz, considerando, mais uma vez, que temos uma capital sabidamente majoritariamente voltada à direita, não apenas à direita, mas à direita de Bolsonaro, e temos aqui um grande aliado do ex-presidente Bolsonaro, o coronel Menezes, já se articulando para uma chapa “puro sangue”, e um deputado que é alinhado à direita”, concluiu.

eleições 2024 Afrânio Soares Coronel Alfredo Menezes Anderson Fonseca David Almeida capitao alberto neto

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

11/07
12:33

REUNIÕES SECRETAS

Executivos da Âmbar Energia, ligada ao Grupo J&F dos irmãos Joesley e Wesley Batista, realizaram secretamente 17 reuniões com autoridades do Ministério de Minas e Energia entre junho de 2023 e maio de 2024, sem registro oficial. Essas reuniões precederam a assinatura de uma medida provisória pelo presidente Lula em 13 de junho, beneficiando um negócio da Âmbar na energia elétrica, cujo custo será repassado aos consumidores por até 15 anos. O Ministério e a Âmbar negam que as reuniões tenham discutido a medida, mas não divulgaram os temas tratados. Críticas à falta de transparência foram levantadas, especialmente pela deputada Adriana Ventura (Novo-SP).

11/07
12:32

FRACA ARTICULAÇÃO

A aprovação da reforma tributária na Câmara revelou a fraca articulação dos senadores Eduardo Braga e Omar Aziz, que deixaram de incluir a maioria das propostas do Amazonas para a Zona Franca de Manaus (ZFM). O texto foi aprovado por 336 votos a favor e 142 contra. Foram incluídas apenas contribuições para financiar a UEA e fundos de desenvolvimento, além de crédito presumido para indústrias. Alterações cruciais, como a inclusão do IPI e crédito presumido para operações internas, foram rejeitadas. Os parlamentares precisarão trabalhar mais eficientemente no Senado.

11/07
12:31

SILAS CONTRA

A Câmara dos Deputados aprovou o primeiro projeto de regulamentação da reforma tributária com 336 votos a favor, 142 contra e duas abstenções. A maioria dos deputados do Amazonas votou contra devido aos impactos negativos na Zona Franca de Manaus (ZFM), com exceção de Silas Câmara (Republicanos-AM), que apoiou o projeto. Pauderney Avelino (União-AM) criticou a redução do crédito presumido e a falta de alíquota zero para operações internas, alertando sobre o aumento dos preços e a diminuição da competitividade no Amazonas. O próximo desafio será no Senado Federal.

11/07
12:30

DITADURA DA NICARÁGUA

A ditadura de Ortega na Nicarágua fechou a Radio María e mais 12 ONGs, totalizando 3,6 mil entidades fechadas em seis anos. A ministra do Interior, Maria Amelia Coronel, justificou o fechamento da rádio pela falta de demonstrações financeiras de 2019 a 2023. Ortega continua a perseguir a Igreja Católica, expulsando e detendo padres, e cancelando a cidadania de líderes religiosos, forçando-os ao exílio.

11/07
12:29

DEFESA DA ZFM

Wilson Lima, governador do Amazonas, promete lutar incansavelmente pela competitividade da Zona Franca de Manaus (ZFM) após a votação na Câmara dos Deputados que prejudicou o estado. Ele criticou a exclusão de emendas cruciais para o modelo econômico, enquanto duas sugestões foram aceitas, incluindo contribuições para financiar a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e fundos de desenvolvimento, além de créditos presumidos para indústrias. Alterações solicitadas, como a inclusão do IPI para produtos aprovados pela Suframa e crédito presumido para operações internas, foram rejeitadas.

Ver mais >>

Programas