AO VIVO
Executivo - 05 de julho de 2024
Foto: Reprodução/ Youtube

Amom critica abandono do Centro e diz que Manaus ‘ainda vive no século 19’

Em entrevista ao podcast “Caminhos do Comércio – edição especial: prefeituráveis”, promovido pela Fecomércio-AM, Amom Mandel destaca problemas de urbanização, acessibilidade e abandono do centro da cidade, propondo soluções inovadoras e inteligentes

Por: Andreza Miller
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

Em entrevista ao podcast “Caminhos do Comércio – edição especial: prefeituráveis”, promovido pela Federação do Comércio do Amazonas, nesta sexta-feira (5/7), o pré-candidato a prefeito de Manaus e deputado federal, Amom Mandel (Cidadania), afirmou que o Centro de Manaus está abandonado. O deputado apresentou propostas sobre mobilidade urbana, saneamento básico e políticas de sustentabilidade para os igarapés de Manaus. Ele destacou a necessidade de adotar o conceito de “cidade inteligente” para modernizar a cidade e solucionar os problemas urbanos com o uso de tecnologias avançadas.

“O centro de Manaus hoje está completamente abandonado. Em locais visitados pela nossa equipe, vimos que não chegou um centavo, nem do Governo Federal, nem do Estadual e muito menos do municipal. É preciso trabalhar para reabilitar e tornar o Centro atrativo tanto para as atividades econômicas quanto para os moradores. Uma cidade boa para se viver, boa para se visitar e boa para se fazer negócios”, afirmou Amom.

Ele destacou a necessidade de investir em políticas que tornem o Centro mais atrativo, utilizando verbas federais para a construção de moradias populares ou a reforma de locais subutilizados, como o prédio que hoje abriga o INSS. “Temos apenas dois andares sendo utilizados. Esses espaços poderiam ser melhor aproveitados para moradias ou políticas públicas”, disse.

Propostas para transformar Manaus em uma cidade inteligente

Amom enfatizou a necessidade de utilizar tecnologias e inovações para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos e otimizar a gestão urbana. “Manaus vive hoje ainda no século XIX, tanto nas políticas fiscais e econômicas quanto na questão da urbanização. As intervenções viárias focam no século passado, com blocos de concreto. Existem novas soluções para esses velhos problemas, que passam pelo uso da tecnologia, inteligência artificial, automatização de processos e estatísticas para aperfeiçoar esses processos e reduzir o desperdício”, explicou.

Abandono do Centro e seus impactos

Amom ressaltou que pontos turísticos como o Teatro Amazonas e o Mercado Adolpho Lisboa estão cercados por problemas de segurança, como tráfico de drogas e assaltos, além da presença de moradores de rua. “Esses moradores deveriam ser contemplados pelos programas de habitação e assistência social. Insisto na integração das políticas públicas e na reformulação de algumas secretarias”, afirmou.

Acessibilidade nas calçadas

Sobre a acessibilidade, Amom apontou a complexidade do problema, que envolve responsabilidade compartilhada entre a Prefeitura e os proprietários de imóveis. “Parte das calçadas de Manaus é responsabilidade da Prefeitura, e parte é dos comerciantes e donos de casas. É preciso dialogar com os proprietários para estabelecer um pacto em prol da acessibilidade”, disse.

Mobilidade urbana e trânsito

Para resolver os problemas de mobilidade urbana e acidentes de trânsito, Amom propôs uma melhor organização e fiscalização por parte dos órgãos de trânsito, especialmente para os motociclistas, e investir na educação no trânsito. “É preciso organizar o trânsito do ponto de vista da Prefeitura de Manaus”, concluiu.

Veja a entrevista completa:

#Amom Mandel entrevista

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

12/07
12:39

WILSON ANTECIPA 13º

O governador do Amazonas, Wilson Lima (União Brasil), anunciou na manhã desta sexta-feira (12) a antecipação da primeira parcela do 13º salário dos servidores públicos do estado para os dias 23 e 24 de julho. Segundo Lima, a medida, somada ao pagamento da folha mensal, resultará na injeção de aproximadamente R$ 1 bilhão na economia do estado no final deste mês.

12/07
12:37

CÁRMEN LÚCIA EM MANAUS

A presidente do TSE, Cármen Lúcia, visitará Manaus em 29 de julho para se reunir com o TRE e visitar o Parque das Tribos, a maior comunidade indígena urbana do Amazonas. O presidente do TRE, João Simões, confirmou a visita e expressou preocupação com a possível seca severa durante as eleições deste ano. As Forças Armadas auxiliarão na segurança, especialmente em áreas críticas.

12/07
12:36

PESQUISA CONTROVERSA

O Instituto Veritá divulgou uma nova pesquisa eleitoral para a Prefeitura de Manaus, onde o deputado federal Capitão Alberto Neto (PL-AM), apoiado por Jair Bolsonaro (PL), lidera com 20,7% das intenções de voto, empatado tecnicamente com Amom Mandel (Cidadania). No entanto, outras pesquisas recentes mostram Alberto Neto em queda, sendo ultrapassado por Roberto Cidade (União) e ocupando o quarto lugar nas intenções de voto.

12/07
12:34

DEPUTADO CONTRA MACONHA

O deputado estadual Eder Lourinho (PSD) apresentou um Projeto de Lei na Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) para proibir o consumo de maconha em ambientes públicos e privados de uso coletivo, com multas de até R$ 2 mil para infratores. A proposta, motivada pela decisão do STF que descriminalizou o porte da droga para uso pessoal, ainda precisa ser analisada por comissões e deve tramitar mais rapidamente após o recesso legislativo em 6 de agosto. Lourinho ressaltou os riscos de saúde associados ao consumo da maconha.

12/07
12:32

LICITAÇÃO SUSPEITA

O ministro Aroldo Cedraz, do Tribunal de Contas da União (TCU), suspendeu uma licitação de quase R$ 200 milhões da Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência da República devido a indícios de fraude. A licitação, sob o comando do ministro Paulo Pimenta, visava contratar empresas para comunicação digital do governo. A suspensão foi motivada por uma publicação do site O Antagonista que antecipou as empresas vencedoras. A Secom tem 15 dias para explicar o caso e afirmou não ter sido notificada oficialmente ainda.

Ver mais >>

Programas