AO VIVO
Economia - 23 de março de 2022
Foto:

Aquisição colocará Multilaser como a primeira montadora de veículos 100% elétricos na Zona Franca de Manaus

Manaus l AM – Com informações de assessoria de imprensa Enquanto algumas empresas encerram suas produções na capital amazonense, a companhia Multilaser anunciou, nesta segunda-feira (22), que adquiriu a startup Watts Mobilidade Elétrica, o que a colocará como a primeira montadora de veículos 100% elétricos na Zona Franca de Manaus. A startup foi fundada em […]

Por: Redação
Compartilhe

Venha fazer parte do nosso grupo do Whatsapp e receba em primeira mão as notícias do momento!

Clique aqui

Manaus l AM – Com informações de assessoria de imprensa

Enquanto algumas empresas encerram suas produções na capital amazonense, a companhia Multilaser anunciou, nesta segunda-feira (22), que adquiriu a startup Watts Mobilidade Elétrica, o que a colocará como a primeira montadora de veículos 100% elétricos na Zona Franca de Manaus.

A startup foi fundada em 2018, com a proposta de inovar o conceito de mobilidade, por meio de produtos sustentáveis com propulsão elétrica, integralmente livres de emissões. O investimento será de R$ 10,5 milhões.

Conforme a Multilaser, além da aquisição que colocará a empresa como a primeira montadora de veículos 100% elétricos na Zona Franca de Manaus, também ampliará a capilaridade comercial e de assistência técnica da Watts, que já conta com uma rede de lojas e concessionária presente em 10 estados e no Distrito Federal.

 A Watts, segundo a empresa, é considerada um dos principais players do seu segmento, com um dos maiores portfólios de veículos elétricos de variadas potências e características que, somando-se aos atuais modelos da marca própria Atrio da Multilaser, garantirá à companhia posição privilegiada no setor de mobilidade elétrica no País, atuando em todos os seus nichos.

Segundo Luís Mazzarella Martins, sócio da JK Capital, consultoria que assessorou a operação, a aquisição da Watts pela Multilaser não poderia vir em melhor hora, considerando a busca das pessoas por energias mais sustentáveis e também pelo preço do combustível, que vem sendo impactado por cenários políticos e econômicos globais desfavoráveis.

“Além disso, o Brasil é um dos maiores consumidores de motocicletas do mundo, com mais de 10% da frota mundial em atividade. O aumento da autonomia das motocicletas elétricas impulsionará a migração dos modelos tradicionais para este tipo de produto, e a Multilaser estará preparada para atender esta demanda”, disse.

Veículos elétricos: redução de custos

Diversos modelos da startup possuem Certificado de Adequação à Legislação de Trânsito (CAT), que possibilita o registro e o licenciamento de veículos junto aos órgãos executivos de trânsito de todas as unidades da Federação. Estes produtos ainda possuem grande potencial de adoção por profissionais e empresas que atuam no setor logístico, de locação de veículos ou que demandam alta mobilidade de pessoal e/ou mercadorias, pois oferecem perspectiva de expressiva redução de custos e manutenção, aliadas à uma solução sustentável.

Dentre os produtos homologados pelo  Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), a moto elétrica W125, ganha destaque, uma vez que se equipara em desempenho e usabilidade a uma moto com motor a combustão de 125cc, diferenciando-se pela economia e por não emitir CO2 e ruídos, perfeita para o uso urbano, delivery, segurança, entre outros.

“A sinergia com a Multilaser abrange praticamente todas as áreas, como, por exemplo, o fato de a empresa possuir uma estrutura de mais de 100 colaborares no escritório na China, prontos para acompanhar os fornecedores e controlar a excelência em qualidade exigida pela Watts. Agora estamos prontos para ganhar escala rapidamente e almejamos a liderança do mercado mundial em mobilidade elétrica”, comemorou Rodrigo Gomes, fundador e CEO da Watts Mobilidade Elétrica.

#Amazonas Manaus zona franca Negócios

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notas do Poder

11/07
12:33

REUNIÕES SECRETAS

Executivos da Âmbar Energia, ligada ao Grupo J&F dos irmãos Joesley e Wesley Batista, realizaram secretamente 17 reuniões com autoridades do Ministério de Minas e Energia entre junho de 2023 e maio de 2024, sem registro oficial. Essas reuniões precederam a assinatura de uma medida provisória pelo presidente Lula em 13 de junho, beneficiando um negócio da Âmbar na energia elétrica, cujo custo será repassado aos consumidores por até 15 anos. O Ministério e a Âmbar negam que as reuniões tenham discutido a medida, mas não divulgaram os temas tratados. Críticas à falta de transparência foram levantadas, especialmente pela deputada Adriana Ventura (Novo-SP).

11/07
12:32

FRACA ARTICULAÇÃO

A aprovação da reforma tributária na Câmara revelou a fraca articulação dos senadores Eduardo Braga e Omar Aziz, que deixaram de incluir a maioria das propostas do Amazonas para a Zona Franca de Manaus (ZFM). O texto foi aprovado por 336 votos a favor e 142 contra. Foram incluídas apenas contribuições para financiar a UEA e fundos de desenvolvimento, além de crédito presumido para indústrias. Alterações cruciais, como a inclusão do IPI e crédito presumido para operações internas, foram rejeitadas. Os parlamentares precisarão trabalhar mais eficientemente no Senado.

11/07
12:31

SILAS CONTRA

A Câmara dos Deputados aprovou o primeiro projeto de regulamentação da reforma tributária com 336 votos a favor, 142 contra e duas abstenções. A maioria dos deputados do Amazonas votou contra devido aos impactos negativos na Zona Franca de Manaus (ZFM), com exceção de Silas Câmara (Republicanos-AM), que apoiou o projeto. Pauderney Avelino (União-AM) criticou a redução do crédito presumido e a falta de alíquota zero para operações internas, alertando sobre o aumento dos preços e a diminuição da competitividade no Amazonas. O próximo desafio será no Senado Federal.

11/07
12:30

DITADURA DA NICARÁGUA

A ditadura de Ortega na Nicarágua fechou a Radio María e mais 12 ONGs, totalizando 3,6 mil entidades fechadas em seis anos. A ministra do Interior, Maria Amelia Coronel, justificou o fechamento da rádio pela falta de demonstrações financeiras de 2019 a 2023. Ortega continua a perseguir a Igreja Católica, expulsando e detendo padres, e cancelando a cidadania de líderes religiosos, forçando-os ao exílio.

11/07
12:29

DEFESA DA ZFM

Wilson Lima, governador do Amazonas, promete lutar incansavelmente pela competitividade da Zona Franca de Manaus (ZFM) após a votação na Câmara dos Deputados que prejudicou o estado. Ele criticou a exclusão de emendas cruciais para o modelo econômico, enquanto duas sugestões foram aceitas, incluindo contribuições para financiar a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e fundos de desenvolvimento, além de créditos presumidos para indústrias. Alterações solicitadas, como a inclusão do IPI para produtos aprovados pela Suframa e crédito presumido para operações internas, foram rejeitadas.

Ver mais >>

Programas